'Posição do governo não é esta', diz Mourão sobre nova Constituição sugerida por líder governista

Vice-presidente, general Hamilton Mourão, disse que a elaboração de uma nova Constituição, como sugerido pelo líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, não reflete a posição do governo. “Isso aí eu já me pronunciei durante a campanha eleitoral, não tenho mais o que falar, porque a posição do governo não é esta”, afirmou

Hamilton Mourão
Hamilton Mourão (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-presidente, general Hamilton Mourão, disse que a elaboração de uma nova Constituição, como sugerido pelo líder do governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), não é a posição do governo. “Isso aí eu já me pronunciei durante a campanha eleitoral, não tenho mais o que falar, porque a posição do governo não é esta”, afirmou Mourão nesta quarta-feira (28), no Palácio do Planalto, de acordo com reportagem do jornal O Globo.

A elaboração de uma nova Carta Magna foi defendida por Barros na última segunda-feira, após a população chilena votar em um plebiscito por uma nova Constituição.  Na ocasião, o líder do governo disse que a atual Constituição brasileira tem “direitos demais”. 

Segundo Mourão, apesar de Barros ser líder do governo na Câmara, “ele é parlamentar, ele tem outras prerrogativas, diferentes de quem é, como meu caso aqui, vice-presidente eleito com o presidente Bolsonaro, que em nenhum momento tocou nesse assunto”. 

“A Constituição tem 32 anos, já tendo várias emendas, mais de 100 emendas, então tem gente que considera que a gente pode continuar com ela, pelas características e a forma como ela foi montada, e, paulatinamente, vai-se melhorando ela, por meio dessas emendas que vão sendo realizadas. E tem gente que não, que acha que tem que voltar para a estaca zero”, completou. 

Durante a campanha eleitoral de 2018, Mourão defendeu uma nova Constituição desde que ela fosse elaborada por um grupo juristas, notáveis e constitucionalistas. Na ocasião, porém, a proposta foi rejeitada por Bolsonaro. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247