PPS aciona STF contra proposta que limita poderes da Corte

Assinado pelo presidente da legenda, Roberto Freire (PPS-SP), texto pede que a tramitação do projeto seja suspensa e que, no mérito, seja arquivado; parlamentar destaca que a proposta é inconstitucional, por violar o princípio de separação entre poderes, e vai contra o Regimento Interno da Câmara dos Deputados; relator do mandado de segurança é o ministro Dias Toffoli, que já está com o caso do PSDB

PPS aciona STF contra proposta que limita poderes da Corte
PPS aciona STF contra proposta que limita poderes da Corte (Foto: Pedro Ladeira)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Débora Zampier
Agência Brasil

Brasília – A proposta que pretende limitar os poderes do Supremo Tribunal Federal (STF), submetendo algumas decisões ao Congresso Nacional, também foi questionada pelo PPS em mandado de segurança protocolado na tarde de hoje (25) na Suprema Corte. Mais cedo, o assunto foi objeto de questionamento pelo PSDB.

Assinada pelo presidente da legenda, Roberto Freire (PPS-SP), o texto pede que a tramitação do projeto seja suspensa e que, no mérito, seja arquivado. O parlamentar destaca que a proposta é inconstitucional, por violar o princípio de separação entre poderes, e vai contra o Regimento Interno da Câmara dos Deputados.

"É evidente, pois, que tal sistema demonstra clara tendência de abolir a separação dos poderes, uma vez que se imiscui em competência do Supremo Tribunal Federal, transformando o Poder Legislativo em instância revisora do Poder Judiciário", destaca o mandado de segurança.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33 condiciona o efeito vinculante de súmulas aprovadas pelo STF ao aval do Poder Legislativo e submete ao Congresso Nacional a decisão sobre a inconstitucionalidade de leis. De autoria do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI), a PEC ainda estabelece que é preciso quórum de nove ministros, e não mais de seis, para anular emendas constitucionais aprovadas pelo Congresso.

Para o PPS, o aumento do quórum será fonte de "embaraços institucionais, além de franca renovação de uma concepção de Estado autoritária", em desacordo com as inovações trazidas com a Constituição de 1988. O relator do mandado de segurança é o ministro Antonio Dias Toffoli, que já está com o caso do PSDB.

Edição: Carolina Pimentel

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247