“Precisamos de uma correção de curso, não de mudança de governo”

Em entrevista ao jornal La Nación, da Argentina, o presidente do PT, Rui Falcão, comparou o dia da votação do impeachment no plenário da Câmara, marcada para o próximo dia 17, a uma final da Copa do Mundo; "Se ganharmos, como espero, será como se o Brasil fosse hexacampeão. Se perdermos, será pior que a derrota de 7 a 1 contra a Alemanha"; ele também expôs erros do PT

Em entrevista ao jornal La Nación, da Argentina, o presidente do PT, Rui Falcão, comparou o dia da votação do impeachment no plenário da Câmara, marcada para o próximo dia 17, a uma final da Copa do Mundo; "Se ganharmos, como espero, será como se o Brasil fosse hexacampeão. Se perdermos, será pior que a derrota de 7 a 1 contra a Alemanha"; ele também expôs erros do PT
Em entrevista ao jornal La Nación, da Argentina, o presidente do PT, Rui Falcão, comparou o dia da votação do impeachment no plenário da Câmara, marcada para o próximo dia 17, a uma final da Copa do Mundo; "Se ganharmos, como espero, será como se o Brasil fosse hexacampeão. Se perdermos, será pior que a derrota de 7 a 1 contra a Alemanha"; ele também expôs erros do PT (Foto: Gisele Federicce)

247 – O presidente nacional do PT, Rui Falcão, defendeu que o Brasil e o governo atual precisam de uma correção de curso, mas não uma mudança de governo.

Em entrevista ao jornal La Nación, da Argentina, ele comparou o dia da votação do impeachment no plenário da Câmara, marcada para o próximo dia 17, a uma final de Copa do Mundo.

"Se ganharmos, como espero, será como se o Brasil fosse hexacampeão. Se perdermos, será pior que a derrota de 7 a 1 contra a Alemanha", afirmou.

Ele também expôs erros do governo Dilma, como a implementação de um ajuste fiscal pelo ex-ministro Joaquim Levy, indo na contramão dos interesses dos movimentos sociais, segundo ele.

Leia aqui a íntegra, em espanhol.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247