Prerrogativas sai em defesa do TSE e reafirma confiança no processo eleitoral

"A confiança na Justiça Eleitoral é um imperativo de respeito às instituições democráticas", disse o grupo Prerrogativas

www.brasil247.com -
(Foto: ABr)


247 - O Grupo Prerrogativas, coordenado pelo advogado Marco Aurélio de Carvalho, manifestou, em nota, repúdio aos questionamentos feitos por Jair Bolsonaro (PL) e aliados sobre a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro. O grupo disse que reafirma sua "plena confiança" no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), "no funcionamento das urnas eletrônicas e na fidelidade do cômputo dos votos manifestados pelos eleitores brasileiros".

"Após 13 eleições (1996 a 2020) havidas de modo transparente e seguro, sem qualquer indício de fraude, o sistema de votação em vigor é merecedor de acatamento e prestígio pela cidadania brasileira, sendo que a confiança na Justiça Eleitoral é um imperativo de respeito às instituições democráticas, razão pela qual repudiamos as insensatas tentativas de tumultuar a tranquilidade do pleito eleitoral que se avizinha", diz a nota. 

"Desde a introdução do sistema de votação eletrônica, nas eleições de 1996, até o início do mandato do atual presidente da República, o sistema de votação eletrônica, sob a coordenação do TSE, sempre teve a sua confiabilidade reconhecida plenamente pela sociedade brasileira e também pelo Poder Executivo", afirmou. "Não é demais lembrar que o fortalecimento da credibilidade do nosso sistema eleitoral se deve à sua segurança e à harmonia entre os poderes constituídos".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ataques

Jair Bolsonaro e alguns de seus aliados vêm questionando o sistema eleitoral brasileiro e defendido a atuação das Forças Armadas na checagem dos resultados das próximas eleições.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Polícia Federal informou, por exemplo, que Luiz Eduardo Ramos e Augusto Heleno atuaram na busca de informações contra as urnas eletrônicas desde 2019.

No final de abril, Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas "não dão recado", elas "sabem o que é o melhor para o país".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reações

O Judiciário reagiu aos ataques de Bolsonaro. O presidente do TSE, Edson Fachin, afirmou, no começo deste mês, que não se pode transigir com "ameaças à democracia". Também criticou "informações falsas ou levianas".

Também no final do mês passado, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso disse que as Forças Armadas 'estão sendo orientadas a atacar e desacreditar' o processo eleitoral brasileiro.

Exterior

O governo do presidente norte-americano, Joe Biden, recebeu um dossiê alertando sobre os ataques de Bolsonaro às urnas. "Seus constantes ataques (de Bolsonaro) às eleições devem levar governos internacionais a apoiar a democracia brasileira", disse o relatório entregue a políticos dos Estados Unidos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email