Pressionado por decisão da ONU, Barroso diz que Brasil passa por 'refundação'

Enquanto todas as pesquisas mostram que o povo brasileiro quer Lula na presidência e a ONU exige que seus direitos políticos sejam mantidos, o ministro Luis Roberto Barroso, relator da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral, disse que o Brasil passa por uma "refundação";  em evento da associação dos delegados da Polícia Federal, Barroso disse classificou de "Estado do compadrio" o País que muda sua jurisprudência de acordo com o réu

Pressionado por decisão da ONU, Barroso diz que Brasil passa por 'refundação'
Pressionado por decisão da ONU, Barroso diz que Brasil passa por 'refundação' (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

247 - Enquanto todas as pesquisas mostram que o povo brasileiro quer Luiz Inácio Lula da Silva na presidência e o Comitê de Direitos Humanos da ONU exige que seus direitos políticos sejam mantidos, o ministro Luis Roberto Barroso, relator da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral, disse que o Brasil passa por uma "refundação". 

"Acho que estamos vivendo um momento de refundação. Um país que se encontrou consigo próprio e está tentando mudar o seu destino", afirmou Barroso, durante palestra em evento da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), em Salvador.

O ministro Barroso, que já defendeu enfaticamente que os tratados internacionais assinados pelo Brasil tem efeito supralegal, classificou de "Estado do compadrio" o País que muda sua jurisprudência de acordo com o réu.

"Não há razão para mudar jurisprudência. Um país que vai mudando sua jurisprudência em função do réu não é um Estado democrático de direito, mas um Estado de compadrio", disse Barroso para uma plateia de cerca 800 pessoas espalhadas em três salas de cinema.

Inscreva-se na TV 247 e relembre vídeo divulgado pela colunista do 247 Thaís Moya em que Barroso defende a importância dos tratados internacionais:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247