Prisão de Baldy tem como pano de fundo a candidatura de Bretas ao STF, avaliam líderes políticos

Avaliação de líderes partidários é que ao determinar a prisão do secretário de Transportes do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, o juiz da Lava Jato Marcelo Bretas tentou demonstrar seu alinhamento a Jair Bolsonaro e, desta forma, conseguir espaço para se candidatar a uma vaga ao Supremo

Alexandre Baldy e Marcelo Bretas
Alexandre Baldy e Marcelo Bretas (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A prisão do secretário de Transportes do estado de São Paulo, Alexandre Baldy, nesta quinta-feira (6), foi vista no meio político como uma nova ação do juiz da 7ª Vara Federal do Rio, Marcelo Bretas, para pavimentar sua candidatura a uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). 

Segundo reportagem da Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, diversas lideranças partidárias viram a ação de Bretas como “mais um movimento para esculachar a política e os políticos”. A avaliação é que o uso político das vagas do STF devem resultar em novas interferências judiciais relacionadas à questões políticas. 

No ano passado, Bretas ganhou destaque na mídia ao determinar a prisão preventiva de Michel Temer no âmbito da Lava Jato no Rio. Temer, porém, foi solto pouco tempo depois. O texto ressalta, ainda, que Bretas se identifica com as posições conservadoras de Jair Bolsonaro, além de ser “terrivelmente evangélico”. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247