Procuradores da Lava-Jato insistem em Lula no semi-aberto

MPF de Curitiba segue defendendo progressão de pena do ex-presidente, que já afirmou que não aceita a medida

Lula
Lula (Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247)

Revista Fórum - Nesta quarta-feira (23), o Ministério Público Federal de Curitiba enviou à juíza Carolina Lebbos, responsável pela 12 ª Vara da Justiça Federal, as contrarrazões em favor da progressão de pena do ex-presidente Lula para o regime semi-aberto. A defesa do ex-presidente é contra a medida.

A Força Tarefa da Lava-Jato destacou que Lula não pagou uma multa determinada por Lebbos, mas isso não impediria a progressão por que “existem ativos bloqueados suficientes para o adimplemento dos valores derivados da sentença condenatória”. “Face ao caráter provisório da execução, contudo, os valores eventualmente pagos permanecem depositados em conta judicial para destinação após o trânsito em julgado”, disse o órgão em nota.

A defesa usou as multas como um dos motivos para tentar barrar a progressão de pena em ofício enviado à Lebbos. Os advogados de Lula ainda afirmam que a mudança de regime depende também do desejo do ex-presidente, que não quer ir para o semi-aberto.

Confira a reportagem completa na Revista Fórum.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247