PSDB já quer incluir Lula na CPI da Petrobras

Partido repercute mais um depoimento do doleiro Alberto Youssef, que disse hoje à CPI da Petrobras que o ex-presidente ordenou pagamento a uma agência ligada à Petrobras; "É uma declaração muito forte e um motivo grande para que Lula e a presidente Dilma Rousseff sejam incluídos em todos os instrumentos de investigação ligados à Lava Jato", disse o deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS); doleiro aproveitou sua fala de hoje para jogar lama no PT: ele também afirmou acreditar que o Planalto sabia do esquema de corrupção na estatal; o Instituto Lula não quis comentar o assunto

Partido repercute mais um depoimento do doleiro Alberto Youssef, que disse hoje à CPI da Petrobras que o ex-presidente ordenou pagamento a uma agência ligada à Petrobras; "É uma declaração muito forte e um motivo grande para que Lula e a presidente Dilma Rousseff sejam incluídos em todos os instrumentos de investigação ligados à Lava Jato", disse o deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS); doleiro aproveitou sua fala de hoje para jogar lama no PT: ele também afirmou acreditar que o Planalto sabia do esquema de corrupção na estatal; o Instituto Lula não quis comentar o assunto
Partido repercute mais um depoimento do doleiro Alberto Youssef, que disse hoje à CPI da Petrobras que o ex-presidente ordenou pagamento a uma agência ligada à Petrobras; "É uma declaração muito forte e um motivo grande para que Lula e a presidente Dilma Rousseff sejam incluídos em todos os instrumentos de investigação ligados à Lava Jato", disse o deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS); doleiro aproveitou sua fala de hoje para jogar lama no PT: ele também afirmou acreditar que o Planalto sabia do esquema de corrupção na estatal; o Instituto Lula não quis comentar o assunto (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Repercutindo o depoimento do doleiro Alberto Youssef à CPI da Petrobras, nesta segunda-feira 11, o PSDB já atua para incluir o ex-presidente Lula na investigação política. Youssef reafirmou aos deputados da comissão, conforme já havia dito à Justiça Federal, que o ex-presidente foi o responsável por ordenar um pagamento para a agência Muranno Marketing, que prestava serviços à Petrobras.

"Quem me contou isso foi o Paulo Roberto Costa", disse Youssef, que está preso em Curitiba. Procurado pelo 247, o Instituto Lula disse que não irá comentar o assunto.

"É uma declaração muito forte e um motivo grande para que Lula e a presidente Dilma Rousseff sejam incluídos em todos os instrumentos de investigação ligados à Lava Jato", defendeu, pouco depois, o deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS). 

O doleiro aproveitou sua fala de hoje para jogar lama no PT: ele afirmou acreditar que o Planalto sabia do esquema de corrupção na estatal e disse ter repassado R$ 400 mil à cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

O deputado tucano reverberou a afirmação de Youssef e também afirmou que não seria possível a presidente Dilma Rousseff não ter conhecimento do esquema de corrupção que ocorria por meio de contratos da petroleira.

"Estamos falando de algo muito mais sério do que um esquema que poderia ser conduzido com uma simples planilha de Excel. Era necessário um sistema gigantesco, um profissionalismo muito grande para gerenciar esses contratos. Coisas dignas de uma grande organização criminosa. Não é crível que a atual presidente da República, que foi ministra das Minas e Energia e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, desconhecesse o esquema", afirmou.

Análise do Blog O Cafezinho sobre o depoimento lembra que "há tempos" o doleiro "se tornou um delator profissional, de aluguel", e que ele "entendeu brilhantemente qual é o jogo de Sergio Moro e dos procuradores: sabe que se não seguir o jogo, Moro o trancará em suas masmorras".

Para o blogueiro Miguel do Rosário, autor do texto, Youssef volta a fazer o jogo da oposição e suas declarações de hoje, do "bilionésimo depoimento", já são repercutidas "histericamente" pela mídia (leia mais).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247