‘PSDB não tinha alternativa’, diz FHC sobre ação de cassação

Um dia depois de defender a permanência de Michel Temer na Presidência, alegando que a cassação do seu mandato pelo TSE traria "muita confusão" aos país, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta terça-feira, 4, que entrar com a ação contra a chapa Dilma-Temer após a derrota em 2014 era a única alternativa do PSDB; "Na época, o PSDB não tinha muita alternativa, porque parecia que havia e, como está se vendo, houve abuso do poder econômico", disse FHC, durante evento na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio; "Agora, a interpretação se pega os dois (Dilma e Temer) ou não, se é suficiente ou não, isso não cabe aos observadores nem aos políticos julgar"

Um dia depois de defender a permanência de Michel Temer na Presidência, alegando que a cassação do seu mandato pelo TSE traria "muita confusão" aos país, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta terça-feira, 4, que entrar com a ação contra a chapa Dilma-Temer após a derrota em 2014 era a única alternativa do PSDB; "Na época, o PSDB não tinha muita alternativa, porque parecia que havia e, como está se vendo, houve abuso do poder econômico", disse FHC, durante evento na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio; "Agora, a interpretação se pega os dois (Dilma e Temer) ou não, se é suficiente ou não, isso não cabe aos observadores nem aos políticos julgar"
Um dia depois de defender a permanência de Michel Temer na Presidência, alegando que a cassação do seu mandato pelo TSE traria "muita confusão" aos país, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta terça-feira, 4, que entrar com a ação contra a chapa Dilma-Temer após a derrota em 2014 era a única alternativa do PSDB; "Na época, o PSDB não tinha muita alternativa, porque parecia que havia e, como está se vendo, houve abuso do poder econômico", disse FHC, durante evento na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio; "Agora, a interpretação se pega os dois (Dilma e Temer) ou não, se é suficiente ou não, isso não cabe aos observadores nem aos políticos julgar" (Foto: Aquiles Lins)

247 - Um dia depois de defender a permanência de Michel Temer na Presidência, alegando que a cassação do seu mandato pelo TSE traria "muita confusão" aos país (leia aqui), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta terça-feira, 4, que entrar com a ação contra a chapa Dilma-Temer após a derrota em 2014 era a única alternativa do PSDB.

"Na época, o PSDB não tinha muita alternativa, porque parecia que havia e, como está se vendo, houve abuso do poder econômico", disse FHC, durante evento na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio.

Questionado sobre a mudança da natureza da ação do PSDB, que agora pede que o TSE puna apenas da presidente eleita Dilma Rousseff e poupe Temer, dividindo a chapa numa manobra considerada ilegal por vários juristas, Fernando Henrique preferiu não comentar. "Agora, a interpretação se pega os dois (Dilma e Temer) ou não, se é suficiente ou não, isso não cabe aos observadores nem aos políticos julgar."

"Não sou jurista, n​ã​o entendo dessas ​pecul​i​aridades do processo ​. Se adiaram​, têm alguma base p​ara​ isso", completou o ex-presidente tucano. 

FHC falou durante o ciclo de conferências "Segurança pública em debate", na ABL, da qual é membro desde 2013. O tema foi "As políticas sobre drogas e a crise carcerária no Brasil". 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247