PSOL: se Maia não instaurar impeachment de Bolsonaro, será cumplice de um crime

O presidente do PSOL, Juliano Medeiros, reagiu a mais um ataque de Jair Bolsonaro contra a população brasileira, impedindo o ministério da Saúde de adquirir 46 milhões de doses da vacina chinessa CoronaVac

Juliano Medeiros e Jair Bolsonaro
Juliano Medeiros e Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação/PSOL | Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do PSOL, Juliano Medeiros, reagiu nas suas redes sociais nesta quarta-feira (21) a mais um ataque de Jair Bolsonaro contra a população brasileira, impedindo o ministério da Saúde de adquirir 46 milhões de doses da vacina chinesa CoronaVac, buscando travar uma guerra ideológica contra o país. 

Saiba mais

Jair Bolsonaro afirmou a jornalistas em Iperó, São Paulo, nesta quarta-feira (21) que tem "autoridade" para decidir qual vacina contra a Covid-19 o governo federal irá adquirir, negando a vacina chinesa, a CoronaVac, promissora, e o acordo de intenção compra firmado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (20)."Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade. Até porque (o Brasil) estaria comprando uma vacina que ninguém está interessado por ela, a não ser nós", disse Bolsonaro em entrevista à CNN Brasil.


 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247