PSOL: Temer é corrupto e inimigo do povo. A Lava Jato é pródiga em excessos

Em nota, o partido presidido por Juliano Medeiros destacou as arbitrariedades praticas pela Lava Jato e defendeu que Michel Temer, preso nesta quinta-feira 21, "deve ser submetido a julgamento e, se comprovado seu envolvimento em atos ilícitos, como atestam os inúmeros indícios disponíveis, deve ser condenado"; "Além disso, defendemos a revogação das medidas implementadas por seu governo ilegítimo", acrescenta o texto

PSOL: Temer é corrupto e inimigo do povo. A Lava Jato é pródiga em excessos
PSOL: Temer é corrupto e inimigo do povo. A Lava Jato é pródiga em excessos
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em nota publicada em seu site e assinada pela Executiva Nacional, o PSOL, presidido por Juliano Medeiros, destacou as arbitrariedades praticas pela Lava Jato e defendeu que Michel Temer, preso nesta quinta-feira 21, "deve ser submetido a julgamento e, se comprovado seu envolvimento em atos ilícitos, como atestam os inúmeros indícios disponíveis, deve ser condenado". O texto defende ainda "a revogação das medidas implementadas por seu governo ilegítimo".

NOTA DO PSOL SOBRE A PRISÃO DE MICHEL TEMER

1.Michel Temer sempre foi um inimigo do povo brasileiro. Como deputado federal, vice-presidente e presidente da República defendeu os interesses dos bancos, latifundiários e poderosos. Ao lado de Eduardo Cunha, promoveu a farsa do impeachment, assumindo o poder de forma ilegítima. Durante seu governo, o PSOL se opôs duramente aos ataques promovidos contra o povo brasileiro, especialmente a reforma trabalhista, a lei das terceirizações, a Emenda Constitucional 95 e a reforma da previdência – esta última derrotada pela mobilização popular e ressuscitada agora por Jair Bolsonaro.

2. Diante das denúncias de corrupção oferecidas pela PGR à Câmara dos Deputados, o PSOL defendeu o afastamento imediato do então presidente. Temos orgulho de ter participado da campanha pelo "Fora, Temer". Infelizmente a Câmara dos Deputados não acolheu as denúncias contra Temer, que governou com o beneplácito dos partidos que hoje apoiam Jair Bolsonaro. Naquele momento estava evidente a gravidade das denúncias envolvendo os caciques do MDB.

3. A prisão de Temer se dá num contexto de profunda instabilidade política, com um governo em crise e um confronto aberto entre instituições. Defendemos que casos de corrupção sejam julgados conforme a lei, sempre assegurando o amplo direito de defesa e o devido processo legal.

4. A Lava Jato é pródiga em arbitrariedades, seletividade e excessos, sendo a condenação baseada em "convicções" e a prisão sem julgamento e sem o amplo direito de defesa alguns deles. Temer deve ser submetido a julgamento e, se comprovado seu envolvimento em atos ilícitos, como atestam os inúmeros indícios disponíveis, deve ser condenado. Além disso, defendemos a revogação das medidas implementadas por seu governo ilegítimo.

5. Por fim, embora grave, o episódio não pode servir para desviar a atenção da sociedade diante dos ataques do governo Bolsonaro, que radicaliza o programa de Temer e se ampara nas mesmas práticas fisiológicas de seu antecessor. O PSOL combate a corrupção, mas não compactua com o uso político das instituições do Judiciário.

Executiva Nacional do PSOL
21 de março de 2019.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247