PT condena busca em sede e vê “tentativa renovada de criminalizar” o partido

Em nota, o Partido dos Trabalhadores chamou de "desnecessária" e "midiática" a ação da Polícia Federal que resultou em buscas de quase sete horas na sede do partido em São Paulo, no âmbito da Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato; o advogado da legenda Luis Bueno deverá avaliar a possibilidade de que tenha havido infrações administrativas por parte dos investigadores; o presidente do PT, Rui Falcão, teria dito a pessoas próximas que não vê justificativa para a busca, uma vez que não há relação direta entre a direção do partido e o esquema investigado; "Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT", diz o texto

Em nota, o Partido dos Trabalhadores chamou de "desnecessária" e "midiática" a ação da Polícia Federal que resultou em buscas de quase sete horas na sede do partido em São Paulo, no âmbito da Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato; o advogado da legenda Luis Bueno deverá avaliar a possibilidade de que tenha havido infrações administrativas por parte dos investigadores; o presidente do PT, Rui Falcão, teria dito a pessoas próximas que não vê justificativa para a busca, uma vez que não há relação direta entre a direção do partido e o esquema investigado; "Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT", diz o texto
Em nota, o Partido dos Trabalhadores chamou de "desnecessária" e "midiática" a ação da Polícia Federal que resultou em buscas de quase sete horas na sede do partido em São Paulo, no âmbito da Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato; o advogado da legenda Luis Bueno deverá avaliar a possibilidade de que tenha havido infrações administrativas por parte dos investigadores; o presidente do PT, Rui Falcão, teria dito a pessoas próximas que não vê justificativa para a busca, uma vez que não há relação direta entre a direção do partido e o esquema investigado; "Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT", diz o texto (Foto: Aline Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT condenou, em nota divulgada na tarde desta quinta-feira 23, a ação da Polícia Federal que resultou em quase sete horas de buscas na sede do partido, no centro de São Paulo. No texto, a sigla chama a Operação Custo Brasil na sede de "desnecessária", "midiática" e ainda uma "tentativa renovada de criminalizar o PT". 

O advogado da legenda Luis Bueno deverá avaliar a possibilidade de terem sido cometidas infrações administrativas por parte dos procuradores responsáveis pela operação. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, teria dito a pessoas próximas que não consegue ver relação entre a direção da legenda e o esquema de corrupção investigado, o que não justificaria as buscas.

Em coletiva de imprensa nesta manhã, os investigadores informaram que um esquema iniciado entre o final de 2009 e início de 2010 consistia no desvio de verba no gerenciamento de empréstimos consignados de servidores federais, serviço que era feito pela empresa Consist Software. O ex-ministro Paulo Bernardo, preso nesta quinta, tinha "participação ativa" no esquema e pode ter recebido R$ 7 milhões.

Leia a integra da nota emitida pelo PT:

"Nota Oficial do PT

O Partido dos Trabalhadores condena a desnecessária, midiática, busca e apreensão realizada na sede nacional de São Paulo.

Em meio à sucessão de fatos e denúncias envolvendo políticos e empresários acusados de corrupção, monta-se uma operação diversionista na tentativa renovada de criminalizar o PT.

A respeito das acusações assacadas contra filiados do partido, é preciso que lhes sejam assegurados o amplo direito de defesa e o princípio da presunção de inocência.

O PT, que nada tem a esconder, sempre esteve e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos.

São Paulo, 23 de junho de 2016.

Comissão Executiva Nacional do PT"

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247