PT não vai obstruir indicação de Aras para PGR, diz líder do partido no Senado

Líder do PT no Senado, Humberto Costa, afirmou que Augusto Aras, indicado por Jair Bolsonaro para assumir a PGR, deve sofrer grande resistência para ter sua nomeação confirmada na casa. Segundo ele, não há um movimento para barrar Aras para o cargo. “Tínhamos uma posição de que era importante para a autonomia do Ministério Público escolher o indicado dentro da lista, mas não vamos por conta disso colocar essa temática acima da questão de mérito. Pelas posições que externou, acho que pode ser uma pessoa interessante”, disse o parlamentar

Em discurso, à tribuna, senador Humberto Costa (PT-PE)
Em discurso, à tribuna, senador Humberto Costa (PT-PE) (Foto: Pedro França/Agência Senado)

Sputnik - O líder do PT no Senado, Humberto Costa, disse à Sputnik Brasil que Augusto Aras, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR), não deve sofrer grande resistência para ter sua nomeação confirmada na casa.

Após se reunir nesta quarta-feira (11) com o procurador, que faz peregrinação no Senado para conseguir apoio dos parlamentares, Humberto Costa disse que não há um movimento para barrar Aras para a PGR. “O que nós estamos querendo é ouvir. Saber o que ele pensa e o que pretende fazer”, afirmou.

Aras será sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que emitirá parecer favorável ou contrário a sua indicação. O relatório da CCJ é então votado na Comissão. Em seguida, o processo segue para o Plenário da Casa, que decide se aprova ou rejeita o parecer da CCJ. Em ambos os casos é necessária maioria simples. Na terça-feira (10), Aras se reuniu com líderes do Senado. 

“Foi uma conversa esclarecedora, ele colocou vários pontos com os quais temos concordância, Eu diria que causou boa impressão nas conversas que tivemos ontem e hoje”, disse Costa.

​Em 2017, a sabatina que terminou com a aprovação de Raquel Dodge para o cargo de procuradora-geral demorou 7 horas.

Indicação polêmica

A escolha de Aras gerou muitas críticas, pois foi a primeira vez em 16 anos que o indicado para a PGR não saiu da lista tríplice feita por integrantes do próprio Ministério Público.

“Tínhamos uma posição de que era importante para a autonomia do Ministério Público escolher o indicado dentro da lista, mas não vamos por conta disso colocar essa temática acima da questão de mérito. Pelas posições que externou, acho que pode ser uma pessoa interessante”, explicou Humberto Costa.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247