PT pode ir ao STF para garantir espaço na Mesa da Câmara

Líderes petistas na Câmara avaliam entrar no Supremo Tribunal Federal para garantir uma vaga na composição da Mesa Diretora da Câmara, no caso de a estratégia de lançar candidato próprio à presidência naufragar diante da candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM); segundo a coluna Painel desta segunda-feira, 30, sigla se apoia em um artigo do regimento que diz que a minoria tem "assegurado" um lugar entre os dirigentes, ainda que não tenha direito pela proporcionalidade

Líderes petistas na Câmara avaliam entrar no Supremo Tribunal Federal para garantir uma vaga na composição da Mesa Diretora da Câmara, no caso de a estratégia de lançar candidato próprio à presidência naufragar diante da candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM); segundo a coluna Painel desta segunda-feira, 30, sigla se apoia em um artigo do regimento que diz que a minoria tem "assegurado" um lugar entre os dirigentes, ainda que não tenha direito pela proporcionalidade
Líderes petistas na Câmara avaliam entrar no Supremo Tribunal Federal para garantir uma vaga na composição da Mesa Diretora da Câmara, no caso de a estratégia de lançar candidato próprio à presidência naufragar diante da candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM); segundo a coluna Painel desta segunda-feira, 30, sigla se apoia em um artigo do regimento que diz que a minoria tem "assegurado" um lugar entre os dirigentes, ainda que não tenha direito pela proporcionalidade (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Líderes petistas na Câmara avaliam entrar no Supremo Tribunal Federal para garantir uma vaga na composição da Mesa Diretora da Câmara, no caso de a estratégia de lançar candidato próprio à presidência naufragar diante da candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM). 

Segundo a coluna Painel desta segunda-feira, 30, sigla se apoia em um artigo do regimento que diz que a minoria tem "assegurado" um lugar entre os dirigentes, ainda que não tenha direito pela proporcionalidade.

"Petistas dizem que Maia trabalha pelo acerto, mas, se por força de aliados o PT for excluído, o Supremo será a saída", diz a jornalista Natuza Nery. "A primeira batalha do PT será fazer com que o STF não considere o caso uma questão interna da Câmara. A segunda, convencer os ministros de que os cargos de suplência não estão incluídos no que o regimento considera como Mesa Diretora", acrescenta. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247