PT se coloca à disposição de Boulos e diz que Jilmar ‘não vai nem descer do carro de som’

Jilmar Tatto, que foi adversário de Guilherme Boulos na disputa à Prefeitura, será agora o coordenador do apoio do PT à campanha do PSOL em São Paulo. “A esquerda teve um grande resultado em São Paulo e já estamos trabalhando pela vitória de Boulos e Erundina”, disse a presidente do partido, Gleisi Hoffmann

Jilmar Tatto e Guilherme Boulos
Jilmar Tatto e Guilherme Boulos (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT se colocou à disposição da campanha do PSOL à Prefeitura de São Paulo, cuja chapa é formada por Guilherme Boulos e Luiza Erundina, que chegou ao segundo turno com 20% das intenções de voto, contra 32% do prefeito Bruno Covas (PSDB). 

Dentro do PT, a ideia é que Jilmar Tatto, que concorreu pelo partido e chegou em quinto lugar, ‘nem desça do carro de som’, no sentido de que a campanha continua, agora pelo PSOL.

E quem coordenará esse apoio do PT em São Paulo será o próprio Tatto. É o que ficou decidido após uma reunião entre ele, a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, o ex-presidente Lula e o ex-prefeito da cidade Fernando Haddad nesta segunda-feira (16).

“A esquerda teve um grande resultado em São Paulo e já estamos trabalhando pela vitória de Boulos e Erundina”, declarou Gleisi.

Balanço do primeiro turno

Em um balanço sobre o primeiro turno das eleições no País, a deputada avaliou que o PT “cumpriu o objetivo de levar nacionalmente a mensagem de oposição a Bolsonaro”, além de “defender a imagem e o legado do partido”. “Para isso reforçamos a presença de candidatos nas maiores cidades, onde há propaganda eleitoral de rádio e TV”, disse.

Gleisi destacou que, no grupo das 26 capitais e 70 outras cidades onde há segundo turno, a votação dos candidatos a prefeito do PT cresceu mais de 20%, além de ter sido o partido que levou mais candidatos a prefeito ao segundo turno (15), chegando em primeiro lugar em 7, além de candidatos a vice em Belém e Porto Alegre.

“O PT continua sendo o maior partido da oposição e do campo da esquerda nacionalmente, mas é importante destacar que, nesta campanha, participamos de nada menos que 915 alianças com os seis partidos que fazem oposição a Bolsonaro (PDT, PSB, PCdoB, PSOL, PV e Rede), apoiando candidatos desses partidos ou deles recebendo apoio”, completa a presidente.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247