PT: vazamento de informações da Lava Jato para a imprensa atesta direcionamento político

A Bancada do PT na Câmara afirmou que a mais recente revelação do Intercept de conversas entre procuradores da Lava Jato admitindo o vazamento de informações a imprensa com o objetivo de forçar delações e manipular a opinião pública, é "mais uma prova cabal do direcionamento político das investigações"

247 - A Bancada do PT na Câmara afirmou nesta quinta-feira (29) que a mais recente revelação do site The Intercept Brasil, de conversas entre procuradores da Lava Jato admitindo o vazamento de informações a imprensa com o objetivo de forçar delações e manipular a opinião pública, é "mais uma prova cabal do direcionamento político das investigações". Em publicações no Twitter, os parlamentares criticam especialmente o procurador Deltan Dallagnol, que, conforem destacou o partido em seu site, "há alguns anos chegou a negar – em entrevistas à imprensa – a possiblidade de qualquer vazamento de informações da operação".

Sobre as conversas reveladas pelo site The Intercept, a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), disse que é “tudo ilegal, imoral, indecente” e pede punição. “E agora Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), vai continuar fingindo que não vê? ”, cobrou.

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), disse que Deltan Dallagnol “é um mentiroso contumaz”, lembrando que no passado havia negado qualquer tipo de vazamento sobre as investigações. “A Vaza Jato mostra hoje outra vez que Deltan Dallagnol é um mentiroso contumaz. À BBC Brasil, em 2017, ele rechaçou com veemência que a Lava Jato vazasse informações à imprensa. Mentira!”, acusou.

O deputado José Guimarães (PT-CE) classificou o vazamento de informações a imprensa de “ações criminosas”, e também cobrou a apuração do caso. “A CPI é o caminho para uma investigação ampla geral e irrestrita. Esses procuradores produziram o maior escândalo político com objetivo claro de proteger a eleição de Bolsonaro e impedir que as forças progressistas ganhassem as eleições. Todos são cúmplices! ”, apontou.

Já o deputado Rogério Correia (PT-MG) disse que por causa desses escândalos os “procuradores de Curitiba temem a lei de Abuso de Autoridade”. “Seriam presos, e provavelmente serão! Dallagnoll está de novo intimado a ir à Câmara de Deputados dia 3 de setembro. Aguardo”, destacou. O parlamentar é o autor do requerimento que convida Dallagonol para prestar esclarecimento na Comissão do Trabalho da Câmara, na próxima terça-feira (3).

Também criticaram os procuradores da Lava Jato pelo vazamento seletivo das investigações os deputados petistas Paulo Teixeira (SP), Erika Kokay (DF), Natália Bonavides (RN), Alexandre Padilha (SP), Pedro Uczai (SC), Bohn Gass (RS), Reginaldo Lopes (MG), Henrique Fontana (RS), Odair Cunha (MG), Luizianne Lins (CE) e Professora Rosa Neide (MT).

*Com informações do PT

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247