Quebra do sigilo de Lula amplia pressão em Cardozo

Vazamento ilegal de dados bancários da LILS, empresa de palestras do ex-presidente Lula, para a revista Veja reforçará as cobranças do PT contra a atuação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que já tem sido criticado por, supostamente, não ter controle sobre as ações da Polícia Federal; deve-se destacar, no entanto, que o Coaf é ligado ao Ministério da Fazenda, e não da Justiça. E foi de lá que os dados da LILS saíram, a pedido do Ministério Público Federal – e não da PF, que é subordinada à Justiça

Vazamento ilegal de dados bancários da LILS, empresa de palestras do ex-presidente Lula, para a revista Veja reforçará as cobranças do PT contra a atuação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que já tem sido criticado por, supostamente, não ter controle sobre as ações da Polícia Federal; deve-se destacar, no entanto, que o Coaf é ligado ao Ministério da Fazenda, e não da Justiça. E foi de lá que os dados da LILS saíram, a pedido do Ministério Público Federal – e não da PF, que é subordinada à Justiça
Vazamento ilegal de dados bancários da LILS, empresa de palestras do ex-presidente Lula, para a revista Veja reforçará as cobranças do PT contra a atuação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que já tem sido criticado por, supostamente, não ter controle sobre as ações da Polícia Federal; deve-se destacar, no entanto, que o Coaf é ligado ao Ministério da Fazenda, e não da Justiça. E foi de lá que os dados da LILS saíram, a pedido do Ministério Público Federal – e não da PF, que é subordinada à Justiça (Foto: Camila Nunes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Nos próximos dias, as orelhas do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, irão arder muito. O motivo: neste fim de semana, a Polícia Federal vazou, para a revista Veja, dados financeiros da LILS, empresa de palestras do ex-presidente Lula, para a revista Veja (saiba mais aqui).

Cardozo já vinha sendo criticado, por diversas alas do petismo, por supostamente não controlar as ações da Polícia Federal. Agora, as críticas deverão subir de tom, uma vez que, além de ter sido vítima de um crime, Lula já vem sendo apontado por diversos colunistas como o próximo alvo da Operação Lava Jato (leia mais em Noblat: cerco da Lava Jato a Lula se fecha).

De acordo com os dados vazados a Veja, a LILS faturou cerca de R$ 27 milhões com palestras desde que deixou o governo – algo plenamente compatível com a atividade de um ex-presidente que deixou o Palácio do Planalto não apenas como o mais popular da história do País, mas também como celebridade internacional.

Os ganhos de Lula são até pequenos quando comparados aos de outro campeão das palestras internacionais. Bill Clinton, por exemplo, já ganhou muito mais: R$ 350 milhões. Tony Blair cobra cerca de 300 mil libras por palestra e outro que também custa caro aos patrocinadores é Fernando Henrique Cardoso – Lula, no entanto, foi o único a ter sua vida financeira, que é protegida legalmente por sigilo, devassada.

Entre os aliados de Lula, muitos defendem que ele seja nomeado ministro pela presidente Dilma Rousseff. Assim, com o foro privilegiado, ele ficaria protegido de eventuais ações judiciais em primeira instância. Os petistas que querem a ida de Lula para a Esplanada dos Ministérios também defendem que Cardozo seja substituído por Michel Temer na Justiça.

No primeiro governo Lula, quando o caseiro Francenildo Costa teve seus dados expostos, caiu Antônio Palocci, que, à época, era o ministro mais forte em Brasília. Desta vez, a vítima da quebra do sigilo bancário foi o próprio Lula.

Embora Cardozo esteja sendo criticado por setores do PT, deve-se destacar que o Coaf é ligado ao Ministério da Fazenda, e não da Justiça. E foi de lá que os dados da LILS saíram, a pedido do Ministério Público Federal – e não da PF, que é subordinada à Justiça.






O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email