Renan: Independência do BC é o 'ajuste dos ajustes'

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, defendeu novamente a apresentação de um projeto de lei para regulamentar a independência do Banco Central, presidido por Alexandre Tombini; "A independência do Banco Central é o ajuste dos ajustes. É isso que vai sinalizar no sentido da previsibilidade, da segurança jurídica, da política monetária. Essa é uma discussão que não podemos sonegá-la, de forma nenhuma, no Parlamento", disse Renan; ideia é que os diretores do BC tenham mandatos de cinco anos e não coincidentes com o do presidente da República

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, defendeu novamente a apresentação de um projeto de lei para regulamentar a independência do Banco Central, presidido por Alexandre Tombini; "A independência do Banco Central é o ajuste dos ajustes. É isso que vai sinalizar no sentido da previsibilidade, da segurança jurídica, da política monetária. Essa é uma discussão que não podemos sonegá-la, de forma nenhuma, no Parlamento", disse Renan; ideia é que os diretores do BC tenham mandatos de cinco anos e não coincidentes com o do presidente da República
O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, defendeu novamente a apresentação de um projeto de lei para regulamentar a independência do Banco Central, presidido por Alexandre Tombini; "A independência do Banco Central é o ajuste dos ajustes. É isso que vai sinalizar no sentido da previsibilidade, da segurança jurídica, da política monetária. Essa é uma discussão que não podemos sonegá-la, de forma nenhuma, no Parlamento", disse Renan; ideia é que os diretores do BC tenham mandatos de cinco anos e não coincidentes com o do presidente da República (Foto: Aquiles Lins)

247 - O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, defendeu novamente uma medida legal que assegure a formalização da independência do Banco Central. 

"A independência do Banco Central é o ajuste dos ajustes. É isso que vai sinalizar no sentido da previsibilidade, da segurança jurídica, da política monetária. Essa é uma discussão que não podemos sonegá-la, de forma nenhuma, no Parlamento", disse Renan, após a ida do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ao Senado nesta terça-feira, 31, para defender o adiamento da votação da proposta que reduz o indexador da dívida de estados e municípios.

Na segunda-feira, 30, Renan avisou ao ministro que o PMDB iria apresentar um projeto de lei para regulamentar a independência do Banco Central. A ideia é que os diretores do órgão tenham mandatos de cinco anos e não coincidentes com o do presidente da República. Em 2013, Renan tentou colocar em votação um projeto semelhante. A proposta, no entanto, não prosperou.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247