Renan presta depoimento à PF em investigação da Lava Jato

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi ouvido pela Polícia Federal na última sexta-feira, 10, em investigação que busca identificar se ele foi beneficiado com pagamento de propina em acordo da estatal com a categoria dos práticos; principal alvo do inquérito é o ex-deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), aliado do senador alagoano e que já foi indiciado pela PF; suspeitas relativas ao acordo firmado entre a Petrobras e os práticos foram levantadas a partir de informações prestadas pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal

Plenário do Senado durante sessão deliberativa ordinária. À mesa, presidente do Senado Federal senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Fotos: Jefferson Rudy/Agência Senado
Plenário do Senado durante sessão deliberativa ordinária. À mesa, presidente do Senado Federal senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Fotos: Jefferson Rudy/Agência Senado (Foto: Aquiles Lins)

247 - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi ouvido pela Polícia Federal na última sexta-feira, 10, em um dos inquéritos relacionados ao esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.

Renan prestou depoimento em Brasília, em investigação que busca identificar se ele foi beneficiado com pagamento de propina em acordo da estatal com a categoria dos práticos. Principal alvo do inquérito é o ex-deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), aliado do senador alagoano e que já foi indiciado pela PF.

As suspeitas relativas ao acordo firmado entre a Petrobras e os práticos foram levantadas a partir de informações prestadas pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal.

Segundo Costa, Aníbal "falava em nome" de Renan e lhe prometeu, em 2007, R$ 800 mil "em caso de resolução favorável" em uma ação judicial pela qual duas empresas de serviços de praticagem da Baixada Santista cobravam R$ 60 milhões de indenização da Petrobras.

Renan é investigado em mais oito inquéritos na Lava Jato. O senador foi citado por seis delatores como destinatário de propina desviada da Transpetro – Sérgio Machado, Paulo Roberto Costa, Alberto Youssef, Fernando Baiano, Ricardo Pessoa e Nestor Cerveró.

Sempre que procurados, Renan Calheiros e Aníbal Gomes negam participação em qualquer esquema ilegal.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247