Em aceno ao PSDB, Lula diz que 'está pronto' para conversar com Rodrigo Garcia e Eduardo Leite

Durante reunião da sua coordenação de campanha, Lula reforçou a intenção de aliança com o PSDB, especialmente nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul

www.brasil247.com - Eduardo Leite, Rodrigo Garcia e Lula
Eduardo Leite, Rodrigo Garcia e Lula (Foto: Reprodução/Facebook | Ricardo Stuckert)


247 - Em coletiva de imprensa após reunião com o comitê de campanha no início da noite desta segunda-feira (3), um dia após o primeiro turno da eleição, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), falaram em ampliar ainda mais as alianças na disputa do segundo turno, inclusive com diálogo com o PSDB em alguns estados, como São Paulo e Rio Grande do Sul.

Na fala inicial, Gleisi relatou os partidos com os quais o PT fez contato já nesta segunda-feira: “Já tivemos contato com o [Carlos] Lupi, dissemos que gostaríamos muito de ter o Ciro na nossa campanha. Já conversamos com o MDB, queremos muito ter a Simone em nossa campanha. Estamos conversando com o União Brasil, queremos ter a Soraya [Thronicke] também. Estamos procurando também o PSDB para gente poder, não só em São Paulo, mas em outros estados, marcharmos juntos e tê-los juntos conosco na campanha nacional. Até porque temos um grande número de lideranças e personalidades do PSDB que estão conosco nessa caminhada. Esperamos que até terça e quarta-feira tenhamos essas definições”.

Em sua fala, Lula reforçou a intenção de aliança com o PSDB: “se for necessário conversar com o adversário do [Fernando] Haddad aqui em São Paulo, não se preocupe que eu converso também. Se for preciso conversar com o Rodrigo [Garcia], o Lulinha paz e amor vai estar todo pronto para conversar. Se for preciso conversar com candidatos no Rio Grande do Sul, e com outros espalhados pelo país, estarei pronto”.

“Nós temos estados em que temos candidatos possivelmente nos apoiando. Nesse teremos que tomar cuidado para não se meter no lugar onde a gente não deve se meter”, acrescentou o ex-presidente.

Diálogo com todos

Lula afirmou que a estratégia da campanha no segundo turno deve ser conversar com “todos”, principalmente “com quem não gosta da gente”. “Temos que conversar com todas as pessoas que não votaram na gente no primeiro turno. A questão agora não é ideológica”, declarou.

“A partir de amanhã é menos conversa entre nós e mais conversa com eleitor. A gente não precisa conversar com quem a gente já conhece, que sabe que já votou ou vai votar na gente. Precisamos conversar com aqueles que parecem que não gostam da gente, que não gostam dos nossos partidos. É com esses que nós vamos conversar”, afirmou. 

Em referência aos deputados, cobrou apoio: “Essa gente que foi eleita agora, ao invés de ficar comemorando, tem que ir para a rua porque o compromisso é eleger o presidente da República e o governador do Estado”.

O candidato se mostrou otimista em relação ao desempenho para o segundo turno e transmitiu a mensagem de que a eleição com 48% dos votos foi uma grande vitória.

“Eu não costumo ter menos de 60% no segundo turno. Esperamos alargar a nossa margem de votos. Vamos percorrer todos os estados que tiver segundo turno. Estou convencido que vamos alargar nossa vantagem no Nordeste, em Minas Gerais, eu vou visitar regiões de Minas que eu deveria ter visitado”, anunciou.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email