'Se eu pedir qualquer coisa para Bolsonaro, ele faz o contrário', diz Maia

A afirmação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi feita ao comentar sobre a indicação do novo procurador-geral da Repúlica ou a recondução de Raquel Dodge; Maia elogiou a atuação da atual procuradora, mas negou que seu apoio seja decisivo para ela ser reconduzida

(Foto: Câmara | PR)

247  - Em entrevista ao programa Pânico, da rádio jovem Pam, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao comentar sobre a indicação do novo procurador-geral da Repúlica ou a recondução de Raquel Dodge, ele elogiou a atuação da atual procuradora, mas negou que seu apoio seja decisivo para ela ser reconduzida.

"Se eu pedir qualquer coisa para o [presidente Jair] Bolsonaro, ele vai fazer o contrário", afirmou Maia, revelando a relação "harmoniosa" que Bolsonaro diz ter com ele, desde o início do governo.

Sobre a proposta de flexibilização do porte e posse de armas, Maia disse que a posse é uma medida perigosa e que, por isso, deve ser mais restrita.

Ele disse ainda que parte do decreto de armas encaminhado ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro era inconstitucional e afirmou que, mesmo entre os que defendem a posse e o porte de armas, é melhor que a regulamentação seja feita por lei.

"A única parte que é 100% constitucional, que pode ser feito por decreto, é dos CACs. Mas é melhor fazer por lei. Se não, em 2023, o novo presidente pode ser desarmamentista e derrubar o decreto", afirmou Maia, em referência às regras para colecionadores, atiradores e caçadores.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247