Se Temer vencer, PT lança campanha por diretas

Caso o golpe em curso seja aprovado na Câmara neste domingo, 16, e posteriormente passe também no Senado, o PT pode lançar uma campanha pedindo "diretas já"; segundo a colunista Mônica Bergamo, a ideia é sustentar que o mandato de Michel Temer, que assumirá interinamente até Dilma ser julgada, é ilegítimo e que "eleições já" seriam a melhor solução para a crise política; ideia agrada ao partido, porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sob ataque da mídia, do Judiciário e da oposição, está em primeiro na preferência do eleitorado

Caso o golpe em curso seja aprovado na Câmara neste domingo, 16, e posteriormente passe também no Senado, o PT pode lançar uma campanha pedindo "diretas já"; segundo a colunista Mônica Bergamo, a ideia é sustentar que o mandato de Michel Temer, que assumirá interinamente até Dilma ser julgada, é ilegítimo e que "eleições já" seriam a melhor solução para a crise política; ideia agrada ao partido, porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sob ataque da mídia, do Judiciário e da oposição, está em primeiro na preferência do eleitorado
Caso o golpe em curso seja aprovado na Câmara neste domingo, 16, e posteriormente passe também no Senado, o PT pode lançar uma campanha pedindo "diretas já"; segundo a colunista Mônica Bergamo, a ideia é sustentar que o mandato de Michel Temer, que assumirá interinamente até Dilma ser julgada, é ilegítimo e que "eleições já" seriam a melhor solução para a crise política; ideia agrada ao partido, porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sob ataque da mídia, do Judiciário e da oposição, está em primeiro na preferência do eleitorado (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Caso o golpe em curso seja aprovado na Câmara neste domingo, 16, e posteriormente aprovado no Senado, com a posse do vice-presidente Michel Temer, o PT pode lançar uma campanha pedindo "diretas já".

Segundo a colunista Mônica Bergamo, a ideia é sustentar que o mandato de Michel Temer, que assumirá interinamente até Dilma ser julgada, é ilegítimo e que "eleições já" seriam a melhor solução para a crise política.

A ideia agrada ao partido, porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo sob ataque da mídia, do Judiciário e da oposição, está em primeiro na preferência do eleitorado na mais recente pesquisa do Instituto Datafolha (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247