Sérgio Camargo faz campanha aberta para queda de Regina Duarte

Regina Duarte passou a ser atacada abertamente pelo presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, e ter sua cabeça pedida logo após Bolsonaro exonerar dois ministros considerados fortes: Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, e Sergio Moro, da Justiça

Sérgio Camargo
Sérgio Camargo (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A secrertária de Cultura do governo Bolsonaro, Regina Duarte, passou a ser atacada abertamente pelo presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, e ter sua cabeça pedida logo após Bolsonaro exonerar dois ministros considerados fortes: Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, e Sergio Moro, da Justiça. A informação é do jornalista Raphael Veleda, em sua coluna no portal Metropoles. 

Camargo é conhecido por opiniões polêmicas sobre figuras históricas como Zumbi dos Palmares e por minimizar o racismo no Brasil. Ele nunca suportou Regina e sequer esteve em sua posse, diz o jornalista. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247