Serra condiciona apoio a Temer a fim da reeleição

De olho na disputa de 2018, o senador tucano José Serra afirma que, em caso de impeachment de Dilma Rousseff, o vice Michel Temer (PMDB) deve assumir compromissos com a oposição e com o País de não concorrer à reeleição, não interferir nas disputas municipais, não promover caça às bruxas e montar um Ministério “surpreendente”; “o novo governo não deve realizar nenhum tipo de retaliação a nenhuma força política”, diz; ele propõe um governo de união, mas sem o PT; “O PSDB será chamado e terá a obrigação de participar. Sem abdicar de suas propostas e convicções”, afirma 

Bras�lia - O vice-presidente Michel Temer recebe em audi�ncia o ex-governador de SP, Jos� Serra
Bras�lia - O vice-presidente Michel Temer recebe em audi�ncia o ex-governador de SP, Jos� Serra (Foto: Roberta Namour)

247 - De olho na disputa de 2018, o senador tucano José Serra afirma que, em caso de impeachment de Dilma Rousseff, o vice Michel Temer (PMDB) deve assumir compromissos com a oposição e com o País de não concorrer à reeleição, não interferir nas disputas municipais, não promover caça às bruxas e montar um Ministério “surpreendente”.

“O novo governo não deve realizar nenhum tipo de retaliação a nenhuma força política”, diz ele, em entrevista ao ‘Estado de S. Paulo’.

Serra propõe um governo de união, mas se o PT: “O Michel Temer assumindo, eu diria que deveria se batalhar para se formar um governo de união e de reconstrução nacional, com todas as forças interessas na recuperação do País”. “O PSDB será chamado e terá a obrigação de participar. Sem abdicar de suas propostas e convicções”, acrescenta.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247