Simon ao 247: "PMDB é mais meu do que dessa gente"

Senador Pedro Simon bate duro em cúpula do seu próprio partido, que quer Renan Calheiros presidindo o Senado e Henrique Eduardo Alves, a Câmara; "O partido não faz reunião para nada, tudo é feito por um grupo dominante", disse ele ao 247, referindo-se ao próprio Renan, José Sarney (AP), Henrique Eduardo Alves (RN), Romero Jucá (RR) e outros; ex-governador gaúcho não aceita concorrer com apoio do PSDB; "Meu voto será para o Randolfe Rodrigues (PSOL)", avisa

Simon ao 247: "PMDB é mais meu do que dessa gente"
Simon ao 247: "PMDB é mais meu do que dessa gente"
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Juliane Sacerdote_Brasília 247 – Um dos fundadores e principais expoentes do PMDB, o senador Pedro Simon (RS) se diz "magoado" com o próprio partido. Segundo o parlamentar, "as últimas escolhas" de presidentes do Senado e lideranças foram feitas por um "grupo dominante", sem discussões internas.

Mesmo assim, diz que permanece na legenda, que ajudou a fundar em 1980. E dispara: "Estou magoado com esse quadro que não é o melhor. Nunca nos reunimos para escolher presidentes e líderes, apenas um grupo dominante faz parte dessas escolhas. Mas continuo no partido, ele é mais meu do que dessa gente", destacou ao Brasil 247.

O senador gaúcho reafirma que não vota em Renan Calheiros (PMDB-AL) para presidente do Senado, o candidato colocado pelo partido, e apontado como favorito na disputa. Segundo ele, o nome do parlamentar "não é indicado para mudar coisas no Senado" como deseja a população.

Simon lembra que iria votar no senador Luiz Henrique (PMDB-SC), mas o parlamentar desistiu de colocar a sua candidatura. O nome do peemedebista já contava com o apoio de um grupo independente, formado pelos senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Pedro Taques (PDT-MT), além do próprio Simon.

O ex-governador gaúcho enfatizou, ainda, que o voto dele já tem dono: "Voto no Randolfe [Rodrigues – PSOL – AP]. Creio que o nome do Randolfe inclui todas as condições para assumir a presidência do Senado neste momento". O senador pelo PSOL lançou candidatura  na terça-feira 15.

Questionado se aceitaria ser candidato como o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR) sugeriu nesta quarta-feira 16 na sua página pessoal do Facebook, o senador disse que não iria colocar o próprio nome na disputa, e ressaltou que prefere votar em Randolfe.

O peemedebista lembrou ao 247 que os dois candidatos atuais às presidências das casas legislativas estão envolvidos em escândalos políticos, e que isso "não é bem visto pela população". O deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMNDB-RN) foi envolvido em denúncias de desvio de verbas públicas por meio de emendas parlamentares. Renan Calheiros, por seu lado, deixou a presidência do Senado em 2007, depois de ser apontado como amigo do lobista Cláudio Gontijo, que pagava despesas pessoais de Mônica Veloso, com quem o senador tem uma filha.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email