Sob oposição evangélica, Câmara volta a discutir legalização de jogos

Empresários do setor viram na ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência, em 2019, um caminho aberto para o avanço da pauta

Bolsonaro prepara a liberação dos cassinos
Bolsonaro prepara a liberação dos cassinos (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Com o apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e sob resistência da bancada evangélica, deputados retomaram a discussão da legalização de jogos de azar no Brasil. Um grupo de trabalho foi instalado na Casa para analisar um projeto de lei apresentado em 1991 — mesmo com os requisitos cumpridos para ser apreciado em plenário, o texto não alcançou esse patamar em três décadas em função da divisão que o tema provoca. A informação é do jornal O Globo. 

Em linhas gerais, o assunto opõe entusiastas do potencial de arrecadação econômica da instalação de cassinos e da liberação de outras modalidades aos que alertam para o caminho aberto à lavagem de dinheiro e outros crimes. A possibilidade de vício e as consequências para as relações familiares — o argumento mais ligado à moral é frequentemente evocado por setores religiosos — também são citadas por opositores.

Empresários do setor viram na ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência, em 2019, um caminho aberto para o avanço da pauta. O magnata dos cassinos, Sheldon Adelson, morto em janeiro deste ano, esteve no Brasil no início do mandato e recebeu o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e uma comitiva em Las Vegas (EUA) em janeiro do ano passado. Na correlação das forças internas que sustentam Bolsonaro, no entanto, os evangélicos levaram vantagem no primeiro capítulo da batalha — a segunda ainda está no início.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email