Sobrará para Michelle caso Bolsonaro ataque Janja na campanha, diz Noblat

Segundo o jornalista, o PT já tem munição para revidar a um eventual golpe baixo da campanha bolsonarista

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro e Fabrício Queiroz
Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro e Fabrício Queiroz (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil | Reprodução)


247 - O jornalista Ricardo Noblat publica em sua coluna, no Metrópoles, que a campanha do PT revidará caso Bolsonaro ataque a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, esposa de Lula.

Segundo o jornalista, a campanha de Bolsonaro prepara inserções comerciais para ligar Janja, mulher de Lula, à umbanda. 

"Se for o caso, o PT revidará. O alvo será Michelle, e não só porque Fabrício Queiroz, o administrador da rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro, depositou em sua conta dinheiro mal explicado até hoje. A história de Michelle e de sua família já foi vasculhada. Se atacarem Janja, sobrará para Michelle”, acrescenta o jornalista.

Noblat lembra da campanha de 1989, quando Fernando Collor deu em Lula “o maior golpe baixo registrado até hoje”.

O então candidato pagou uma ex-namorada de Lula para que aparecesse no horário eleitoral da TV para dizer que o petista tinha tentado convencê-la a abortar.

Depois se descobriu que Collor pagou uma fortuna para a ex-namorada de Lula, e a história não era verdadeira. O então candidato do PT perdeu as eleições, por uma pequena diferença de votos.

Desta vez, segundo Noblat, a campanha de Lula não ficará em silêncio no caso de um golpe baixo. 

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email