Supremo deixa para o TSE manifestações sobre atos pela democracia

O presidente do TSE, Edson Fachin, rebateu ameaças de golpe feitas por Bolsonaro e alertou para a necessidade de se impor "rejeição categórica do flertar com o retrocesso"

www.brasil247.com - Edson Fachin
Edson Fachin (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)


247 - O Supremo Tribunal Federal (STF) deixou para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os posicionamentos públicos sobre as manifestações pela democracia, na última quinta-feira (11), quando aconteceu a leitura de carta pela democracia, produzida pela Faculdade de Direitos da Universidade de São Paulo (USP). O presidente do STF, Luiz Fux, preferiu que o presidente do TSE, Edson Fachin, se posicionasse sobre o assunto. 

Fachin defendeu as urnas eletrônicas, disse que é preciso rejeitar o retrocesso e se opôs às fake news. "A defesa da ordem constitucional e, consequentemente, da dignidade humana, impõe a rejeição categórica do flertar com o retrocesso", afirmou Fachin em uma mensagem feita para ser lida nos atos, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo

"Defender as eleições é preservar o cerne vital da agenda democrática, que, acima das cisões ideológicas, alinha, harmonicamente, os interesses de uma gente que almeja e merece buscar a prosperidade em uma comunidade pacífica, civilizada e livre", disse o ministro na mensagem.

Bolsonaro vem fazendo ameaças de golpe ao acusar sem provas o sistema eleitoral brasileiro de não ter segurança contra fraudes e ao defender a participação das Forças Armadas na apuração do resultado das eleições. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email