Tabata lidera grupo de deputados que busca aval da Justiça para promover a infidelidade partidária

Eles querem o aval da Justiça para poderem migrar de legenda sem perder o mandato – pela Lei Eleitoral, os parlamentares só podem deixar o partido em caso de expulsão ou na janela partidária. É o caso de Felipe Ringoni, Tabata Amaral e Rosana Valle, que desagradaram o PSB e o PDT ao votarem pela reforma da Previdência

Tabata Amaral
Tabata Amaral (Foto: Will Shutter/ Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um grupo suprapartidário na Câmara, formado por 30 deputados descontentes com suas respectivas legendas, estuda entrar com um processo na Justiça Eleitoral por perseguição política e intimidação contra seus respectivos partidos. A informação é da revista Veja. 

Eles querem o aval da Justiça para poderem migrar de legenda sem perder o mandato – pela Lei Eleitoral, os parlamentares só podem deixar o partido em caso de expulsão ou na janela partidária.

É o caso de Felipe Ringoni, Tabata Amaral e Rosana Valle, que desagradaram o PSB e o PDT ao votarem pela reforma da Previdência. Rosana, inclusive, já recebeu convite para deixar o PSB e ir ao Podemos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email