Taques: novas eleições agora seriam um golpe

Governador tucano do Mato Grosso, Pedro Taques afirma que a alternativa, defendida pelo PSDB, seria ‘fugir do que está previsto na Constituição’; “Novas eleições agora seriam um golpe. Ai sim seria golpe. Já o crime de responsabilidade está previsto no artigo 85”, diz; ele apoia o impeachment de Dilma Rousseff, mas não a entrada dos quadros do PSDB num eventual governo Temer, como apoia o senador tucano José Serra; Taques minimiza as denúncias contra Aécio Neves na Lava Jato, diz que os grampos divulgados pelo juiz Sérgio Moro foram legais e diz que o ex-presidente Lula já começou a corrida por 2018: “Lula está em campanha e o Palácio do Planalto é o comitê eleitoral dele” 

Entrevista do Senador Pedro Taques, ap�s reuni�o da Comiss�o Mista de Consolida��o da Legisla��o Federal para apresenta��o do texto do projeto de lei complementar que regulamentar� a emenda constitucional do trabalho dom�stico (EC 72/2013)
Entrevista do Senador Pedro Taques, ap�s reuni�o da Comiss�o Mista de Consolida��o da Legisla��o Federal para apresenta��o do texto do projeto de lei complementar que regulamentar� a emenda constitucional do trabalho dom�stico (EC 72/2013) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Para o governador tucano do Mato Grosso, Pedro Taques, a proposta de novas eleições agora, alternativa defendida pelo PSDB, seria ‘fugir do que está previsto na Constituição’.

“Novas eleições agora seriam um golpe. Ai sim seria golpe. Já o crime de responsabilidade está previsto no artigo 85”, disse ele, em entrevista ao ‘Estado de S. Paulo’.

Ele apoia o impeachment de Dilma Rousseff, mas não a entrada dos quadros do PSDB num eventual governo Temer, como apoia o senador tucano José Serra. “O PSDB não é um partido com uma posição. Neste momento, porém, nós precisamos de unidade de pensamento. Hoje 100% do partido é favorável ao impeachment”, afirma.

Taques minimiza as denúncias contra Aécio Neves na Lava Jato, diz que os grampos divulgados pelo juiz Sérgio Moro foram legais e diz que o ex-presidente Lula já começou a corrida por 2018: “Lula está em campanha e o Palácio do Planalto é o comitê eleitoral dele” (leia aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247