Tasso diz a aliados que deixa presidência do PSDB se Aécio não renunciar

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) continua pressionando para que o senador Aécio Neves (MG) deixe a presidência do partido; para os tucanos, Aécio continuar no comando da legenda desgasta a imagem do partido para 2018; o mineiro prometeu apresentar uma solução até a próxima terça-feira (24); os dirigentes do partido enxergam o risco de que Aécio continue adiando essa decisão

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) continua pressionando para que o senador Aécio Neves (MG) deixe a presidência do partido; para os tucanos, Aécio continuar no comando da legenda desgasta a imagem do partido para 2018; o mineiro prometeu apresentar uma solução até a próxima terça-feira (24); os dirigentes do partido enxergam o risco de que Aécio continue adiando essa decisão
O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) continua pressionando para que o senador Aécio Neves (MG) deixe a presidência do partido; para os tucanos, Aécio continuar no comando da legenda desgasta a imagem do partido para 2018; o mineiro prometeu apresentar uma solução até a próxima terça-feira (24); os dirigentes do partido enxergam o risco de que Aécio continue adiando essa decisão (Foto: Charles Nisz)

247 - O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), disse a aliados que deixará o comando da legenda caso o senador Aécio Neves (PSDB-MG) não renuncie ao cargo na semana que vem. Tasso diz que a disputa interna chegou ao “limite” e não quer brigar pelo comando do partido com o colega mineiro. Aécio está licenciado da presidência do PSDB desde maio.

Tasso vem fazendo cobranças a Aécio e o gesto do senador cearense foi interpretado como um “ultimato”. O mineiro resiste a deixar o posto. Aécio prometeu apresentar uma solução para a bancada tucana até a próxima terça-feira (24), mas os dirigentes enxergam o risco de que o mineiro continue postergando uma decisão. Para os tucanos, Aécio permanecer como presidente do partido desgasta a imagem do PSDB para 2018.

Os tucanos esperavam que o mineiro deixasse o comando na terça (17), após o Senado ter derrubado duas medidas cautelares impostas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no fim de setembro – ele estava proibido de exercer o mandato e deixar sua residência à noite. Aécio diz se sentir "expulso" da sigla com a pressão para que abandone o cargo de presidente.

A briga acirrou as divisões no PSDB. O partido escolherá seu próximo presidente em dezembro. Aliados de Aécio querem fazer resistência à Tasso – favorito para assumir a presidência da legenda. A pressão de Tasso pela renúncia de Aécio pode fortalecer a candidatura do governador de Goiás, Marconi Perillo.

 

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247