Temendo protestos, governo tenta acelerar reformas

Governo Michel Temer tentará votar ainda nesta quarta-feira (19) um novo requerimento de urgência visando acelerar a votação do projeto de reforma trabalhista em tramitação na Câmara; pressa é justificada pelo temor de que as manifestações contra o governo e as reformas trabalhista e previdenciária marcadas para o próximo dia 28 desidratem os votos da base aliada; nesta terça-feira (19), o governo havia apresentado um requerimento de urgência, mas acabou sendo derrotado em suas intenções

Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados (Foto: Paulo Emílio)

247 - O governo Michel Temer tentará votar ainda nesta quarta-feira (19) um novo requerimento de urgência visando acelerar a votação do projeto de reforma trabalhista em tramitação na Câmara. A pressa é justificada pelo temor de que as manifestações contra o governo e as reformas trabalhista e previdenciária marcadas para o ´próximo dia 28 desidratem os votos da base aliada.

"Eu estou avisando, se não aprovarem a urgência do projeto, a reforma pode ir para as calendas", afirmou o relator do projeto, Rogério Marinho (PSDB-RN). As manifestações do dia 28, que incluem uma greve geral convocada pelas centrais sindicais, poderão fazer os deputados favoráveis à aprovação das reformas a reconsiderarem sua posição em função da pressão popular.

Nesta terça-feira (19), o governo havia apresentado um requerimento de urgência, mas acabou sendo derrotado em suas intenções. O governo precisava de 257 votos a favor para provar o requerimento, mas conseguiu apenas 230.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247