Temer comprou parlamentares com cheque sem fundos, diz deputado

"Na hora de pedir o nosso voto contra a denúncia do procurador-geral, ninguém no governo falava em meta fiscal. Agora, não dá para dizer simplesmente que o cheque pré-datado não tinha fundos", disse um aliado de Temer do Centrão, em entrevista ao jornalista Josias de Souza

Temer no Palácio do Planalto 27/7/2017 REUTERS/Adriano Machado
Temer no Palácio do Planalto 27/7/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Prestes a anunciar um rombo de R$ 159 bilhões para a meta fiscal a ser entregue este ano, o governo de Michel Temer pode ter comprado o apoio de parlamentares contra a continuidade de sua denúncia de corrupção com cheques sem fundos.

"Não somos precisamente contra os cortes de gastos públicos. Somos apenas contra ser cortados. Não dá para mexer, por exemplo, na programação do pagamento das emendas parlamentares. A não ser que o governo quisesse antecipar as liberações", disse um integrante do Centrão ao Blog do Josias.

"Na hora de pedir o nosso voto contra a denúncia do procurador-geral, ninguém no governo falava em meta fiscal. Agora, não dá para dizer simplesmente que o cheque pré-datado não tinha fundos", acrescentou o deputado ao jornalista Josias de Souza.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247