Temer considera plausível eventual prisão de Lula

"Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar", declarou Michel Temer, em entrevista ao jornalista Josias de Souza publicada nesta quarta-feira 16; na noite de segunda-feira, no programa Roda Viva, onde conversou com representantes dos maiores jornais da mídia tradicional, Temer dissera que a detenção de Lula causaria instabilidade; a Josias, ele explica: "O que se fala muito hoje é que o Lula pode ser preso pelo Moro de forma temporária ou preventiva. Na entrevista, entendi que a pergunta era sobre isso. Respondi: se ele for processado, isso deve seguir com muita naturalidade. Agora, se ele for preso — eu quis dizer neste momento —, isso cria problema para o governo, porque alguns movimentos sociais que fazem objeção ao meu governo vão sair às ruas"

"Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar", declarou Michel Temer, em entrevista ao jornalista Josias de Souza publicada nesta quarta-feira 16; na noite de segunda-feira, no programa Roda Viva, onde conversou com representantes dos maiores jornais da mídia tradicional, Temer dissera que a detenção de Lula causaria instabilidade; a Josias, ele explica: "O que se fala muito hoje é que o Lula pode ser preso pelo Moro de forma temporária ou preventiva. Na entrevista, entendi que a pergunta era sobre isso. Respondi: se ele for processado, isso deve seguir com muita naturalidade. Agora, se ele for preso — eu quis dizer neste momento —, isso cria problema para o governo, porque alguns movimentos sociais que fazem objeção ao meu governo vão sair às ruas"
"Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar", declarou Michel Temer, em entrevista ao jornalista Josias de Souza publicada nesta quarta-feira 16; na noite de segunda-feira, no programa Roda Viva, onde conversou com representantes dos maiores jornais da mídia tradicional, Temer dissera que a detenção de Lula causaria instabilidade; a Josias, ele explica: "O que se fala muito hoje é que o Lula pode ser preso pelo Moro de forma temporária ou preventiva. Na entrevista, entendi que a pergunta era sobre isso. Respondi: se ele for processado, isso deve seguir com muita naturalidade. Agora, se ele for preso — eu quis dizer neste momento —, isso cria problema para o governo, porque alguns movimentos sociais que fazem objeção ao meu governo vão sair às ruas" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Dois dias depois de ter dito que uma eventual prisão do ex-presidente Lula causaria instabilidade no governo e no País, durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite de segunda-feira 14, Michel Temer declarou nesta quarta ao blog de Josias de Souza, no UOL, considerar plausível uma prisão do petista.

"Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar", disse Temer, que explicou o que quis dizer no Roda Viva sobre a instabilidade. "O que se fala muito hoje é que o Lula pode ser preso pelo Moro de forma temporária ou preventiva. Na entrevista, entendi que a pergunta era sobre isso. Respondi: se ele for processado, isso deve seguir com muita naturalidade. Agora, se ele for preso — eu quis dizer neste momento —, isso cria problema para o governo, porque alguns movimentos sociais que fazem objeção ao meu governo vão sair às ruas".

"Hoje, depois de seis meses, está passando um pouco aquela onda do 'Fora, Temer'. Só agora está começando a passar. Se prender o Lula, o que vai acontecer? Essa foi a minha resposta, com muita franqueza: vai criar problema, instabilidade. Mas, evidentemente, se lá para frente houver uma condenação judicial e Lula for detido em função dessa condenação, acabou", acrescentou o presidente.

Questionado se recebia com naturalidade uma eventual prisão de Lula após ter sido condenado, Temer respondeu: "Claro que sim. Convenhamos, sendo da área jurídica eu jamais me atreveria a dizer que alguém condenado não pode ser preso. Se a prisão vier depois de uma condenação, não haverá o que objetar. Nem poderia".

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247