Temer descarta reeleição e diz que colocará “economia nos trilhos”

Em entrevista a Kennedy Alencar, do SBT, vice Michel Temer afirma que, se assumir a Presidência, afirma que não pretende disputar a reeleição em 2018: “Sem dúvida alguma, porque isso me dá maior liberdade até para a ação governamental se eu vier a ocupar o governo”; ele diz que terá apoio do Congresso para aprovar medidas para reajustar a economia e nega que vá retirar direitos trabalhistas e sociais; Temer afirma que as acusações de conspiração de Dilma Rousseff são injustificadas e diz que “não se impressiona” com a pressão dos movimentos sociais 

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista a Kennedy Alencar, do SBT, vice Michel Temer afirma que, se assumir a Presidência, afirma que não pretende disputar a reeleição em 2018: “Sem dúvida alguma, porque isso me dá maior liberdade até para a ação governamental se eu vier a ocupar o governo”.

Ele diz que terá apoio do Congresso para aprovar medidas para “colocar a economia nos trilhos” e para aumentar “a geração de empregos”. Nega que vá retirar direitos trabalhistas e sociais.

Temer afirma ainda que as acusações de conspiração de Dilma Rousseff são injustificadas e diz que “não se impressiona” com a pressão dos movimentos sociais:

“Se houver movimento de rua, como se anuncia, é democrático desde que não seja predador. Em segundo lugar, que não seja embaraçador da atividade, do livre trânsito de pessoas. Em terceiro lugar, eu não vou dar atenção a isso, eu vou dar atenção aos problemas do país. Esta é a função da Presidência da República” (leia aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247