Temer e Doria definem estratégia para ficar juntos em 2018

Michel Temer e o prefeito de São Paulo, João Doria, tiveram e acertaram que farão “todo o possível” para isso acontecer, informa o colunista Tales Faria, do Poder360; tucano acha que vence as prévias para candidato do PSDB a governador de São Paulo, mas tem pode concorrer à presidência, caso o atual governador, Geraldo Alckmin, não suba nas pesquisas; Temer insistiu que o MDB “está compromissado” com a candidatura do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, no Estado

Presidente Michel Temer e prefeito de São Paulo, João Doria, em evento em São Paulo 07/08/2017 REUTERS/Paulo Whitaker
Presidente Michel Temer e prefeito de São Paulo, João Doria, em evento em São Paulo 07/08/2017 REUTERS/Paulo Whitaker (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Michel Temer e o prefeito de São Paulo, João Doria, discutiram como consolidar uma aliança até outubro. Os dois tiveram um encontro na sexta-feira (2) e acertaram que farão “todo o possível” para isso acontecer.

O tucano acha que vence as prévias para candidato do PSDB a governador de São Paulo, mas tem pode concorrer à presidência da República, caso o atual chefe do executivo paulista, Geraldo Alckmin, não suba nas pesquisas eleitorais, segundo o jornalista Tales Faria, do site Poder 360.

Temer insistiu que o MDB “está compromissado” com a candidatura do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ao governo de São Paulo. Mas, se Doria for candidato, o emedebista tentará convencer o correligionário a fechar aliança com os tucanos e, como consequência, Skaf escolheria se concorre ao Senado ou a vice-governador.

Seja como for, ambos terão uma missão difícil, que é cativar o eleitorado. Temer rejeitado por mais de 90% dos brasileiros e, de acordo com pesquisa da Rede Nossa São Paulo, divulgada no mês passado, a prefeitura de São Paulo é ruim ou péssima para 41% dos paulistas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247