Temer: eu era decorativo, não sabia de corrupção

Ao participar de entrevista coletiva em Nova York, Michel Temer disse que não sabia que havia corrupção no governo federal, antes de assumir a presidência, embora comandasse o PMDB, que tinha nada menos que sete ministérios na administração Dilma Rousseff; "Não sabia. Vocês sabem que eu não tive participação no governo. Um dia eu mesmo me rotulei de vice-presidente decorativo porque eu não tinha participação. Não acompanhava nada disso", disse ele; na delação de Marcelo Odebrecht, o próprio Temer foi citado por pedir uma doação de R$ 10 milhões, em pleno Palácio do Jaburu; dois de seus principais aliados, Eduardo Cunha e Henrique Alves, já caíram e tiveram contas no exterior reveladas

Ao participar de entrevista coletiva em Nova York, Michel Temer disse que não sabia que havia corrupção no governo federal, antes de assumir a presidência, embora comandasse o PMDB, que tinha nada menos que sete ministérios na administração Dilma Rousseff; "Não sabia. Vocês sabem que eu não tive participação no governo. Um dia eu mesmo me rotulei de vice-presidente decorativo porque eu não tinha participação. Não acompanhava nada disso", disse ele; na delação de Marcelo Odebrecht, o próprio Temer foi citado por pedir uma doação de R$ 10 milhões, em pleno Palácio do Jaburu; dois de seus principais aliados, Eduardo Cunha e Henrique Alves, já caíram e tiveram contas no exterior reveladas
Ao participar de entrevista coletiva em Nova York, Michel Temer disse que não sabia que havia corrupção no governo federal, antes de assumir a presidência, embora comandasse o PMDB, que tinha nada menos que sete ministérios na administração Dilma Rousseff; "Não sabia. Vocês sabem que eu não tive participação no governo. Um dia eu mesmo me rotulei de vice-presidente decorativo porque eu não tinha participação. Não acompanhava nada disso", disse ele; na delação de Marcelo Odebrecht, o próprio Temer foi citado por pedir uma doação de R$ 10 milhões, em pleno Palácio do Jaburu; dois de seus principais aliados, Eduardo Cunha e Henrique Alves, já caíram e tiveram contas no exterior reveladas (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Ao participar de entrevista coletiva em Nova York, Michel Temer foi questionado sobre escândalos recentes de corrupção no Brasil e disse que não sabia de nada.

Temer afirmou que desconhecia qualquer esquema de corrupção no governo federal, antes de assumir a presidência, embora comandasse o PMDB, que tinha nada menos que sete ministérios na administração Dilma Rousseff – alguns deles, como o de Minas e Energia, envolvidos em obras como de Angra 3 e Belo Monte.

"Não sabia. Vocês sabem que eu não tive participação no governo. Um dia eu mesmo me rotulei de vice-presidente decorativo porque eu não tinha participação. Não acompanhava nada disso", afirmou.

Na delação de Marcelo Odebrecht, o próprio Temer foi citado por pedir uma doação de R$ 10 milhões, em pleno Palácio do Jaburu, que teria sido entregue, como caixa dois, parcialmente, a um de seus principais auxiliares, o ministro Eliseu Padilha (leia aqui).

Além disso, dois de seus principais aliados, Eduardo Cunha e Henrique Alves, já caíram e tiveram contas no exterior reveladas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247