Temer intensifica ações para tentar barrar denúncia na Câmara

Às vésperas da votação da denúncia que pode lhe tirar do cargo, Michel Temer intensificou as manobras para obter uma vitória na Câmara; líderes aliados e ministros farão uma reunião nesta semana com o objetivo de contabilizar o apoio obtido para impedir que o processo seja encaminhado ao Supremo; ofensiva dará atenção especial ao PSDB, cuja bancada já começa a abandonar o peemedebista

17/03/2015- Brasília- DF, Brasil- Michel Temer, Padilha, Moreira franco
17/03/2015- Brasília- DF, Brasil- Michel Temer, Padilha, Moreira franco (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Michel Temer está intensificando as negociações para se manter no poder e barrar o andamento da denúncia de corrupção feita pela Procuradoria-Geral da República. 

Às vésperas da votação da denúncia no plenário da Câmara dos Deputados, líderes aliados e ministros farão uma reunião nesta semana com o objetivo de contabilizar o apoio obtido para impedir que o processo seja encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A votação do parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que sugere a rejeição da denúncia da Procuradoria-Geral da Pública (PGR) de corrupção passiva contra Temer, está marcada para 2 de agosto. Para dar prosseguimento ao processo, a oposição terá que reunir 342 votos. No entanto, segundo apurou o Valor, o balanço de auxiliares de Temer indica que pelo menos 266 parlamentares sinalizavam votar pelo arquivamento da denúncia. Ainda nas contas do governo, a oposição tem cerca de 170 votos garantidos.

De acordo com o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que participará do encontro, também estarão presentes na reunião os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Antônio Imbassahy (Secretaria do Governo), além de alguns líderes de partidos da base aliada.

O aliado de Temer disse ainda que o PSDB e o PSB estão recebendo atenção especial na ofensiva.

As informações são de reportagem de Marcelo Ribeiro no Valor.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247