Temer pediu para Moraes jogar o massacre no colo do Amazonas

Assim que o governo soube do massacre, Michel Temer pediu que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, jogasse o problema no colo do governo do Amazonas, o que Moraes vem fazendo desde então; o ministro insiste que o Estado sabia de um plano de fuga do presídio onde ocorreu o massacre de 56 presos e não avisou a União, nem pediu ajuda, mesmo diante da informação de que a Polícia Federal estava a par da ameaça do ocorrido; na avaliação do Planalto, Moraes vem se saindo bem em sua tarefa, informa a coluna Radar On-Line

(Brasília, DF 05/01/2017) Reunião com o Núcleo Institucional. Foto: Beto Barata/PR
(Brasília, DF 05/01/2017) Reunião com o Núcleo Institucional. Foto: Beto Barata/PR (Foto: Gisele Federicce)

247 - Assim que o governo soube do massacre, Michel Temer pediu que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, jogasse o problema no colo do governo do Amazonas, informa o jornalista Gabriel Mascarenhas, da coluna Radar On-Line.

É o que Moraes vem fazendo desde então. O ministro insiste que o Estado do Amazonas, comandado pelo governador José Melo (Pros), sabia de um plano de fuga do presídio onde ocorreu o massacre de 56 presos e não avisou a União, nem pediu ajuda.

Nesta quarta-feira 4, veio à tona a informação de que o governo amazonense participava de um grupo de segurança com representantes de agências federais, como a Abin e a Polícia Federal, que estariam a par, portanto, de uma ameaça do ocorrido.

Na avaliação do Planalto, Moraes vem se saindo bem na tarefa designada pelo chefe. "Enfim, um episódio em que Alexandre de Moraes não queimou seu filme com o chefe nem foi determinante para agravar uma crise já existente", comenta o colunista.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247