Temer será questionado sobre propinas em Santos e pode sofrer 3ª denúncia

Enquanto comanda a compra de deputados para escapar da denúncia liderar uma quadrilha que assaltou o estado, Michel Temer recebeu uma má notícia nesta quinta-feira, 5; o ministro do STF Luís Roberto Barroso autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a interrogar Temer, por escrito, no inquérito que investiga corrupção e lavagem de dinheiro na edição de um decreto do setor de portos; Temer é suspeito de receber propina pela edição do decreto que teria beneficiado a empresa Rodrimar; investigação como alvos, além de Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), além de Antônio Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, executivos da Rodrimar, empresa concessionária no porto de Santos    

Enquanto comanda a compra de deputados para escapar da denúncia liderar uma quadrilha que assaltou o estado, Michel Temer recebeu uma má notícia nesta quinta-feira, 5; o ministro do STF Luís Roberto Barroso autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a interrogar Temer, por escrito, no inquérito que investiga corrupção e lavagem de dinheiro na edição de um decreto do setor de portos; Temer é suspeito de receber propina pela edição do decreto que teria beneficiado a empresa Rodrimar; investigação como alvos, além de Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), além de Antônio Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, executivos da Rodrimar, empresa concessionária no porto de Santos
 
 
Enquanto comanda a compra de deputados para escapar da denúncia liderar uma quadrilha que assaltou o estado, Michel Temer recebeu uma má notícia nesta quinta-feira, 5; o ministro do STF Luís Roberto Barroso autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a interrogar Temer, por escrito, no inquérito que investiga corrupção e lavagem de dinheiro na edição de um decreto do setor de portos; Temer é suspeito de receber propina pela edição do decreto que teria beneficiado a empresa Rodrimar; investigação como alvos, além de Temer, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), além de Antônio Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita, executivos da Rodrimar, empresa concessionária no porto de Santos     (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta quinta-feira a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a tomar o depoimento do presidente Michel Temer no inquérito em que ele é investigada sob suspeita de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na edição de um decreto este ano que mudou regras do sistema portuário.

A decisão de Barroso, que ainda não foi disponibilizada em sua íntegra, foi confirmada pela assessoria de imprensa do STF.

Dodge pediu a Barroso uma série de diligências referentes à investigação. A procuradora-geral pediu para ouvir, além de Temer, o subchefe de Assuntos Jurídicos da Presidência, Gustavo Rocha, o ex-assessor especial Rodrigo Rocha Loures, os amigos do presidente José Yunes e João Batista Lima Filho e outras quatro pessoas.

A nova chefe do Ministério Público Federal havia pedido 60 dias de prazo para concluir as investigações do inquérito.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247