Temer sobre reforma da Previdência: Quem reclama é quem ganha mais

Ao fazer defesa da reforma da Previdência, nesta terça-feira, Michel Temer afirmou que quem reclama das mudanças propostas pelo governo na área são as pessoas que ganham mais; "Cerca de 65% dos trabalhadores brasileiros terão a aposentadoria integral porque ganham o salário mínimo. Lamento dizê-lo, mas o mínimo na Previdência é o salário mínimo. Então, quem eventualmente possa insurgir-se é um grupo de 27%, 37% (...) Quem reclama é na verdade quem ganha muito mais, muito acima desses tetos", disse o peemedebista

Ao fazer defesa da reforma da Previdência, nesta terça-feira, Michel Temer afirmou que quem reclama das mudanças propostas pelo governo na área são as pessoas que ganham mais; "Cerca de 65% dos trabalhadores brasileiros terão a aposentadoria integral porque ganham o salário mínimo. Lamento dizê-lo, mas o mínimo na Previdência é o salário mínimo. Então, quem eventualmente possa insurgir-se é um grupo de 27%, 37% (...) Quem reclama é na verdade quem ganha muito mais, muito acima desses tetos", disse o peemedebista
Ao fazer defesa da reforma da Previdência, nesta terça-feira, Michel Temer afirmou que quem reclama das mudanças propostas pelo governo na área são as pessoas que ganham mais; "Cerca de 65% dos trabalhadores brasileiros terão a aposentadoria integral porque ganham o salário mínimo. Lamento dizê-lo, mas o mínimo na Previdência é o salário mínimo. Então, quem eventualmente possa insurgir-se é um grupo de 27%, 37% (...) Quem reclama é na verdade quem ganha muito mais, muito acima desses tetos", disse o peemedebista (Foto: José Barbacena)

247 - Ao fazer defesa da reforma da Previdência, nesta terça-feira, Michel Temer afirmou que quem reclama das mudanças propostas pelo governo na área são as pessoas que ganham mais. O peemedebista disse ainda que é preciso a população se conscientizar sobre a necessidade da reforma e afirmou que a responsabilidade social no país depende da responsabilidade fiscal e do reequilíbrio das contas públicas.

A declaração ocorreu em reunião no Palácio do Planalto com Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, grupo que engloba representantes do governo, do empresariado e de diferentes setores da sociedade civil. "Cerca de 65% dos trabalhadores brasileiros terão a aposentadoria integral porque ganham o salário mínimo. Lamento dizê-lo, mas o mínimo na Previdência é o salário mínimo. Então, quem eventualmente possa insurgir-se é um grupo de 27%, 37% (...) Quem reclama é na verdade quem ganha muito mais, muito acima desses tetos. Quem tem aposentadoria precoce, quem tem antes da Previdência geral", afirmou o presidente na abertura do encontro.

"Estamos igualando a Previdência pública com a geral, será uma só. É uma equalização do sistema previdenciário. Estamos preocupados com o futuro dos que irão receber a pensão", completou Temer.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247