Temer vai se envolver pessoalmente na CCJ para barrar denúncia na Câmara

Após ser denunciado pela segunda vez pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Michel temer decidiu atuar pessoalmente para evitar que a aceitação da denúncia seja votada pela Câmara; nesta linha, Temer deverá se reunir com os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e tentar acalmar os partidos da base aliada que pedem a saída do ministro da Secretaria de Governo Antonio Imbassahy, da articulação política; objetivo é evitar que uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima complique ainda mais o governo

Após ser denunciado pela segunda vez pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Michel temer decidiu atuar pessoalmente para evitar que a aceitação da denúncia seja votada pela Câmara; nesta linha, Temer deverá se reunir com os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e tentar acalmar os partidos da base aliada que pedem a saída do ministro da Secretaria de Governo Antonio Imbassahy, da articulação política; objetivo é evitar que uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima complique ainda mais o governo
Após ser denunciado pela segunda vez pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Michel temer decidiu atuar pessoalmente para evitar que a aceitação da denúncia seja votada pela Câmara; nesta linha, Temer deverá se reunir com os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e tentar acalmar os partidos da base aliada que pedem a saída do ministro da Secretaria de Governo Antonio Imbassahy, da articulação política; objetivo é evitar que uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima complique ainda mais o governo (Foto: Paulo Emílio)

247 - Após ser denunciado pela segunda vez pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Michel temer decidiu atuar pessoalmente para evitar que a aceitação da denúncia seja votada pela Câmara. Nesta linha, Temer deverá se reunir com os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e tentar acalmar os partidos da base aliada que pedem a saída do ministro da Secretaria de Governo Antonio Imbassahy, da articulação política. Temer também pretende fazer uma avaliação minuciosa na CCJ para evitar o risco de possíveis traições ao Planalto.

O objetivo de Temer é barrar a denúncia ainda durante as discussões no Supremo Tribunal Federal (STF) ou mesmo no Ministério Público Federal (MPF). Caso isso não seja possível o objetivo é que a tramitação na Cãmara seja agilizada, evitando que uma delação do ex-ministro Geddel Vieira Lima complique ainda mais o governo.

Na primeira denúncia, Temer conseguiu trocar praticamente todos os membros da CCJ, mas ainda assim seria necessário um certo cuidado para evitar possíveis defecções.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247