Teori questiona como delação de Cerveró chegou a Esteves

"É um genuíno mistério como um documento sigiloso que se encontrava em ambiente prisional em Curitiba chegou ao escritório de André Esteves em São Paulo", afirmou o ministro Teori Zavascki nesta quarta-feria, 25, se referindo à cópia do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró com o Ministério Público Federal no âmbito da Lava Jato; Zavascki disse que há um "perigoso canal de vazamento" de informações sigilosas das investigações do esquema de corrupção da Petrobras para beneficiar pessoas poderosas

"É um genuíno mistério como um documento sigiloso que se encontrava em ambiente prisional em Curitiba chegou ao escritório de André Esteves em São Paulo", afirmou o ministro Teori Zavascki nesta quarta-feria, 25, se referindo à cópia do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró com o Ministério Público Federal no âmbito da Lava Jato; Zavascki disse que há um "perigoso canal de vazamento" de informações sigilosas das investigações do esquema de corrupção da Petrobras para beneficiar pessoas poderosas
"É um genuíno mistério como um documento sigiloso que se encontrava em ambiente prisional em Curitiba chegou ao escritório de André Esteves em São Paulo", afirmou o ministro Teori Zavascki nesta quarta-feria, 25, se referindo à cópia do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró com o Ministério Público Federal no âmbito da Lava Jato; Zavascki disse que há um "perigoso canal de vazamento" de informações sigilosas das investigações do esquema de corrupção da Petrobras para beneficiar pessoas poderosas (Foto: Aquiles Lins)

247 - Ministro Teori Zavascki, relator das ações da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, criticou nesta quarta-feira, 25, o que chamou de "perigoso canal de vazamento" de informações sigilosas das investigações do esquema de corrupção da Petrobras para beneficiar pessoas poderosas.

"Vem à tona a grave revelação de que André Esteves tem consigo cópia de minuta do anexo do acordo de colaboração premiada assinado por Nestor Cerveró, confirmando e comprovando a existência de canal de vazamento na operação Lava Jato que municia pessoas em posição de poder com informações de complexo investigatório", disse o ministro.

"É um genuíno mistério como um documento sigiloso que se encontrava em ambiente prisional em Curitiba chegou ao escritório de André Esteves em São Paulo", afirmou o magistrado.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247