Tijolaço: tem mais laranja no laranjal do partido de Bolsonaro

"Não há mistério algum na maracutaia dos R$ 400 mil dados à candidata “laranja” Lourdes Paixão pelo PSL. É parte do 'acerto' feito com Luciano Bivar, 'dono' da sigla até a entrada, em cima do prazo, de Jair Bolsonaro no 'partido'", diz o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço

Tijolaço: tem mais laranja no laranjal do partido de Bolsonaro
Tijolaço: tem mais laranja no laranjal do partido de Bolsonaro (Foto: Uelsei Marcelino - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, do Tijolaço - Não há mistério algum na maracutaia dos R$ 400 mil dados à candidata “laranja” Lourdes Paixão pelo PSL.

É parte do “acerto” feito com Luciano Bivar, “dono” da sigla até a entrada, em cima do prazo, de Jair Bolsonaro no “partido”.

A terrível desculpa de Bivar, de que “mulher não tem vocação para a política” esbarra na própria prestação de  contas do PSL, onde 90% das candidaturas que receberam dinheiro do Fundo Eleitoral eram femininas, inclusive a laranja pernambucana que se juntou às laranjas mineiras do Ministro do Turismo.

No valor, porém, ficaram nos 30% determinados pela resolução do TSE que obrigava a usar esta parcela, no mínimo, com candidatas.

Aliás, se a Folha quiser, pode pesquisar também outra candidata pernambucana “campeã” de recursos do PSL, Érika Santos, que recebeu R$ 250 mil e admite que sua candidatura era divulgada por “pessoas que estão ao seu redor“, mas gastou quase todo o dinheiro com numa gráfica que “funciona” onde é um escritório de empréstimos consignados e com uma empresa de Juliana Mirella Gonçalves, a suposta Gráfica Itapissu, a mesma onde Lourdes teria posto o dinheiro do Fundo Eleitoral.

Picaretagens como as de Bivar tem aos montes na política. O mais grave, nestes casos, é que todas as transferências para seu “laranjal” foram autorizadas por Gustavo Bebbiano, que assumiu a presidência do PSL e agora é ministro-chefe da Secretaria de Governo.

Mas, como diz Sérgio Moro, “não vem ao caso”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247