Vaccarezza: Sampaio faz 'pirotecnia eleitoral'

Vice-líder do PT na Câmara saiu em defesa das ministras Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres), denunciadas na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo líder do PSDB na Câmara pela onda de violência nos presídios do Maranhão; “É um tiro no pé que desgasta a imagem dele e escancara a deficiência da oposição em atacar o governo com assuntos sem a menor justificativa legal”, afirma o petista

Vice-líder do PT na Câmara saiu em defesa das ministras Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres), denunciadas na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo líder do PSDB na Câmara pela onda de violência nos presídios do Maranhão; “É um tiro no pé que desgasta a imagem dele e escancara a deficiência da oposição em atacar o governo com assuntos sem a menor justificativa legal”, afirma o petista
Vice-líder do PT na Câmara saiu em defesa das ministras Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres), denunciadas na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo líder do PSDB na Câmara pela onda de violência nos presídios do Maranhão; “É um tiro no pé que desgasta a imagem dele e escancara a deficiência da oposição em atacar o governo com assuntos sem a menor justificativa legal”, afirma o petista (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) saiu em defesa das ministras Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Eleonora Menicucci (Políticas para as Mulheres), denunciadas na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo PSDB, pela onda de violência nos presídios do Maranhão.

O pedido de investigação das ministras foi apresentado pelo líder do PSDB na Câmara, deputado federal Carlos Sampaio (SP). Para o tucano, as duas ministras retardaram ou deixaram de praticar suas funções. Segundo ele, em tese, as duas cometeram improbidade administrativa por deixarem de executar as atribuições dos cargos que ocupam e dos órgãos pelos quais são responsáveis, ao aparentemente, não tomarem qualquer providência para solucionar ou, ao menos, evitar as graves ocorrências denunciadas recentemente no complexo penitenciário maranhense.

O vice-líder do PT na Câmara classificou as ações do tucano de esdrúxula, sem embasamento jurídico e de uma medida “desesperada para aparecer”.

“Eu fico triste que mais uma vez que ele coloque o carro diante dos bois, propondo algo que nem o partido dele apoia. Naquela interpelação contra a Dilma no Natal, ninguém do PSDB apareceu pra apoiar a medida. Ele ficou sozinho, tentando gritar contra algo que não tem embasamento legal e só cria espuma e pirotecnia em ano eleitoral”, diz Vacarezza. “É um tiro no pé que desgasta a imagem dele e escancara a deficiência da oposição em atacar o governo com assuntos sem a menor justificativa legal”, conclui.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247