Vanessa: “Reformas de Temer estão inviabilizadas”

Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), o governo continua espalhando inverdades e distorcendo a realidade acerca da reforma da Previdência, apesar das decisões judiciais que tiraram do ar a propaganda oficial exatamente pelo seu conteúdo tendencioso e pelos dados questionáveis; "Temer semeia o terror para colher o pânico, mas fracassou", afirmou; "A população sabe que essa reforma não é para cortar excessos, regalias ou privilégios. Caso aprovada, os grandes prejudicados serão os mais pobres, que perderão direitos e renda com o consequente aprofundamento da injustiça e da desigualdade", afirma

Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), o governo continua espalhando inverdades e distorcendo a realidade acerca da reforma da Previdência, apesar das decisões judiciais que tiraram do ar a propaganda oficial exatamente pelo seu conteúdo tendencioso e pelos dados questionáveis; "Temer semeia o terror para colher o pânico, mas fracassou", afirmou; "A população sabe que essa reforma não é para cortar excessos, regalias ou privilégios. Caso aprovada, os grandes prejudicados serão os mais pobres, que perderão direitos e renda com o consequente aprofundamento da injustiça e da desigualdade", afirma
Para a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), o governo continua espalhando inverdades e distorcendo a realidade acerca da reforma da Previdência, apesar das decisões judiciais que tiraram do ar a propaganda oficial exatamente pelo seu conteúdo tendencioso e pelos dados questionáveis; "Temer semeia o terror para colher o pânico, mas fracassou", afirmou; "A população sabe que essa reforma não é para cortar excessos, regalias ou privilégios. Caso aprovada, os grandes prejudicados serão os mais pobres, que perderão direitos e renda com o consequente aprofundamento da injustiça e da desigualdade", afirma (Foto: Aquiles Lins)

Portal Vermelho - "Temer semeia o terror para colher o pânico, mas fracassou", afirmou a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) em sua coluna semanal na Folha de S. Paulo, nesta terça-feira (4).

Para a senadora, o governo continua espalhando inverdades e distorcendo a realidade acerca da reforma da Previdência, apesar das decisões judiciais que tiraram do ar a propaganda oficial exatamente pelo seu conteúdo tendencioso e pelos dados questionáveis.

Ela reforça que a tese do governo de que os que reclamam da reforma são aqueles que ganham mais não colou nem conseguiu o apoio popular e, por consequência, não assegurou o apoio de parlamentares, pelo simples fato de que os trabalhadores serão os principais prejudicados.

"A população sabe que essa reforma não é para cortar excessos, regalias ou privilégios. Caso aprovada, os grandes prejudicados serão os mais pobres, que perderão direitos e renda com o consequente aprofundamento da injustiça e da desigualdade. Por isso, não encontra apoio em nenhum segmento da nossa sociedade, nem mesmo na base governista", afirma.

A senadora salienta que as reformas são necessárias, caso da tributária e da base, mas não podem prejudicar o povo. "O problema do Brasil não é a Previdência, mas a falta de crescimento econômico e a opção do governo em favorecer o capital especulativo", enfatiza a parlamentar, destacando que neste ano, a previsão de deficit da Previdência é de R$ 170 bilhões e o reservado para o pagamento de juros é de R$ 870 bilhões.

Vanessa destaca ainda que o governo Temer tem dificuldades em aprovar a proposta no seu próprio partido. Ela lembra que nove senadores do PMDB, incluindo seu líder, Renan Calheiros, já se posicionaram contra a sanção da Lei da Terceirização, "certamente não apoiarão a reforma da Previdência".

"A crise no âmbito do governo é grave e a tendência é de acirramento, seja pelas dificuldades políticas, seja pelos protestos crescentes ou pela instabilidade provocada pela Lava Jato", avalia a senadora.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247