"Voto útil" tucano faz Marina disparar em SP

Eleitor paulista, que vota maioritariamente no PSDB (governador Geraldo Alckmin marcou 47% no mesmo Ibope), comprou a tese de que Marina Silva é o melhor instrumento para tirar o PT do poder; resultado: ela avançou ainda mais, enquanto o tucano Aécio Neves desidratou e se viu forçado a convocar uma coletiva para desmentir boatos de desistência; eis os números Ibope no maior colégio eleitoral do País: 39% para Marina Silva, que subiu quatro pontos em relação ao último levantamento, 23% para a presidente Dilma Rousseff, estável, e 17% para Aécio, com queda de dois pontos; tendência irreversível? 

Eleitor paulista, que vota maioritariamente no PSDB (governador Geraldo Alckmin marcou 47% no mesmo Ibope), comprou a tese de que Marina Silva é o melhor instrumento para tirar o PT do poder; resultado: ela avançou ainda mais, enquanto o tucano Aécio Neves desidratou e se viu forçado a convocar uma coletiva para desmentir boatos de desistência; eis os números Ibope no maior colégio eleitoral do País: 39% para Marina Silva, que subiu quatro pontos em relação ao último levantamento, 23% para a presidente Dilma Rousseff, estável, e 17% para Aécio, com queda de dois pontos; tendência irreversível? 
Eleitor paulista, que vota maioritariamente no PSDB (governador Geraldo Alckmin marcou 47% no mesmo Ibope), comprou a tese de que Marina Silva é o melhor instrumento para tirar o PT do poder; resultado: ela avançou ainda mais, enquanto o tucano Aécio Neves desidratou e se viu forçado a convocar uma coletiva para desmentir boatos de desistência; eis os números Ibope no maior colégio eleitoral do País: 39% para Marina Silva, que subiu quatro pontos em relação ao último levantamento, 23% para a presidente Dilma Rousseff, estável, e 17% para Aécio, com queda de dois pontos; tendência irreversível?  (Foto: Aline Lima)

247 – No maior eleitorado do País, a candidata Marina Silva conseguiu nesta terça-feira 2, na pesquisa Ibope sobre os humores no Estado de São Paulo, mais um percentual expressivo para sua coleção de bons resultados desde que se tornou candidata.

Com 39% das intenções de voto, Marina deixou para trás, com larga margem, a presidente Dilma Rousseff, que marcou 23%, e o tucano Aécio Neves. Mesmo apoiado pelo governador Geraldo Alckmin que, no entanto, tem um vice do PSB, o senador mineiro ficou com 17%.

Em comparação com aferição anteriores, realizada pelo Ibope em São Paulo entre os dias 23 e 28 de agosto, Marina conquistou quatro pontos percentuais, enquanto Aécio perdeu dois pontos. Dilma manteve-se inalterada na marca dos 23%.

Em São Paulo, o primeiro político do PSDB a declarar que Marina pode ser apoiada pelo partido no segundo turno foi o ex-presidente Fernando Henrique. Em seguida, o colunista da Globo News Diogo Mainardi lançou, em complemento, a tese de que o melhor é votar em Marina já no primeiro turno, mesmo que seja para fazer oposição a ela a partir do dia seguinte ao voto.

Conhecida como doutrina FHC-Mainardi, essa linha de atuação estabelece que o mais importante em jogo nesta eleição presidencial e tirar o PT do poder. Em São Paulo, mesmo ao custo do sacrifício da candidatura de Aécio, que amarga, em queda, o terceiro lugar agora, a tese está em pleno desenvolvimento.

RIO

No Rio de Janeiro, a presidente Dilma perdeu a liderança. Ela caiu 6 pontos (de 38% para 32%), sendo ultrapassada por Marina, que agora tem 38% (subiu 8 pontos). Aécio se manteve com 11%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) sob o número 00026/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR- 00491/2014. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247