Wadih Damous: Lava Jato é o Doi-Codi atual

Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) comparou neste sábado, 23, a operação Lava Jato ao DOI-Codi, o órgão de inteligência e repressão da ditadura militar de 1964; "O traço fundamental em comum é que são dois territórios de exceção, onde a lei não impera, onde a Constituição não impera e onde não há direitos e garantias fundamentais", afirmou Damous em vídeo; "A Lava Jato, para ser igual ao DOI-Codi, não precisa ter pau-de-arara, nem choque elétrico. Basta que ela não respeite a lei como de fato não respeita. A defesa não é ouvida, é hostilizada, o juiz é claramente parcial, não tem qualquer isenção, e nisso a Lava Jato e o DOI-Codi são iguaizinhos. Num território onde não há lei, Constituição, direitos e garantias fundamentais, tudo é permitido", afirmou

Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) comparou neste sábado, 23, a operação Lava Jato ao DOI-Codi, o órgão de inteligência e repressão da ditadura militar de 1964; "O traço fundamental em comum é que são dois territórios de exceção, onde a lei não impera, onde a Constituição não impera e onde não há direitos e garantias fundamentais", afirmou Damous em vídeo; "A Lava Jato, para ser igual ao DOI-Codi, não precisa ter pau-de-arara, nem choque elétrico. Basta que ela não respeite a lei como de fato não respeita. A defesa não é ouvida, é hostilizada, o juiz é claramente parcial, não tem qualquer isenção, e nisso a Lava Jato e o DOI-Codi são iguaizinhos. Num território onde não há lei, Constituição, direitos e garantias fundamentais, tudo é permitido", afirmou
Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) comparou neste sábado, 23, a operação Lava Jato ao DOI-Codi, o órgão de inteligência e repressão da ditadura militar de 1964; "O traço fundamental em comum é que são dois territórios de exceção, onde a lei não impera, onde a Constituição não impera e onde não há direitos e garantias fundamentais", afirmou Damous em vídeo; "A Lava Jato, para ser igual ao DOI-Codi, não precisa ter pau-de-arara, nem choque elétrico. Basta que ela não respeite a lei como de fato não respeita. A defesa não é ouvida, é hostilizada, o juiz é claramente parcial, não tem qualquer isenção, e nisso a Lava Jato e o DOI-Codi são iguaizinhos. Num território onde não há lei, Constituição, direitos e garantias fundamentais, tudo é permitido", afirmou (Foto: Aquiles Lins)

247 - O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) comparou neste sábado, 23, a operação Lava Jato ao DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informação - Centro de Operações de Defesa Interna), o órgão de inteligência e repressão utilizado pelo Exército durante a ditadura militar de 1964. 

"A Lava Jato e o DOI-Codi têm muito em comum. O traço fundamental em comum é que são dois territórios de exceção, onde a lei não impera, onde a Constituição não impera e onde não há direitos e garantias fundamentais", afirmou Damous em vídeo.

"A Lava Jato, para ser igual ao DOI-Codi, não precisa ter pau-de-arara, nem choque elétrico. Basta que ela não respeite a lei como de fato não respeita. A defesa não é ouvida, é hostilizada, o juiz é claramente parcial, não tem qualquer isenção, e nisso a Lava Jato e o DOI-Codi são iguaizinhos. Num território onde não há lei, Constituição, direitos e garantias fundamentais, tudo é permitido", afirmou o parlamentar. 

Assista acima. 

Os deputados Wadih Damous (PT-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS), integrantes da CPI da JBS, avaliam que a comissão não deve investigar apenas as delações premiadas ligadas à JBS, que vêm sendo questionadas, mas todos esses processos – incluindo os de Curitiba, na vara do juiz Sergio Moro, que conduz a Lava Jato. “Muitas vezes os investigadores sobretudo os de Curitiba fazem promessas para conseguirem delações que a lei não autoriza que sejam feitas”, afirma Damous (leia mais).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247