Zarattini denuncia: Temer coage até deputado que não vai votar nele

Como se não bastassem os R$ 32 bilhões já gastos em acordos e concessões para se manter no poder até hoje, Michel Temer, fragilizado, sem conseguir a presença necessária para votar a segunda denúncia, ainda promete mais emendas parlamentares e cargos para que deputados registrem presença no plenário da Câmara, mesmo que não seja para votar pela rejeição da denúncia, afirma o líder do PT, Carlos Zarattini (SP), que participa de estratégia da oposição para não comparecer à sessão; "Primeiro ele tentou viabilizar os apoios para se manter no poder, agora está oferecendo recursos para que os deputados registrem presença em plenário, mesmo que votem contra ele", disse ao 247; o quórum, explicou o deputado, garante a salvação do governo, uma vez que a denúncia poderia ser arquivada

Como se não bastassem os R$ 32 bilhões já gastos em acordos e concessões para se manter no poder até hoje, Michel Temer, fragilizado, sem conseguir a presença necessária para votar a segunda denúncia, ainda promete mais emendas parlamentares e cargos para que deputados registrem presença no plenário da Câmara, mesmo que não seja para votar pela rejeição da denúncia, afirma o líder do PT, Carlos Zarattini (SP), que participa de estratégia da oposição para não comparecer à sessão; "Primeiro ele tentou viabilizar os apoios para se manter no poder, agora está oferecendo recursos para que os deputados registrem presença em plenário, mesmo que votem contra ele", disse ao 247; o quórum, explicou o deputado, garante a salvação do governo, uma vez que a denúncia poderia ser arquivada
Como se não bastassem os R$ 32 bilhões já gastos em acordos e concessões para se manter no poder até hoje, Michel Temer, fragilizado, sem conseguir a presença necessária para votar a segunda denúncia, ainda promete mais emendas parlamentares e cargos para que deputados registrem presença no plenário da Câmara, mesmo que não seja para votar pela rejeição da denúncia, afirma o líder do PT, Carlos Zarattini (SP), que participa de estratégia da oposição para não comparecer à sessão; "Primeiro ele tentou viabilizar os apoios para se manter no poder, agora está oferecendo recursos para que os deputados registrem presença em plenário, mesmo que votem contra ele", disse ao 247; o quórum, explicou o deputado, garante a salvação do governo, uma vez que a denúncia poderia ser arquivada (Foto: Gisele Federicce)

247 – Depois de gastar cerca de R$ 32 bilhões desde junho, quando foi denunciado pela primeira vez, para se manter na presidência, Michel Temer, fragilizado e sem grande vantagem para votar a segunda denúncia da PGR contra ele, faz ainda mais promessas, agora para que os deputados registrem presença na sessão plenária da Câmara.

A denúncia foi feita pelo líder do PT, deputado Carlos Zarattini (SP). Ele afirmou ao 247 que Temer comanda uma operação para convencer os parlamentares a comparecerem ao plenário, mesmo que seja para votar contra ele, a fim de obter o quórum para a votação da segunda denúncia ainda nesta quarta-feira 25.

"Primeiro ele tentou viabilizar os apoios para se manter no poder, agora está oferecendo recursos para que os deputados registrem presença em plenário", disse o líder do PT. "Por que a gente não quer dar quorum? Porque na hora de votar vamos perder", explica, acrescentando que, se houver a quantidade mínima de 342 na sessão, o governo sai vitorioso, pois a denúncia pode ser arquivada.

A oposição faz a estratégia contrária: não registra presença para adiar a sessão. "Se a gente conseguir adiar a sessão, isso faz com que o governo não consiga levar à frente vários projetos que são danosos ao país. A Reforma da Previdência, por exemplo, tudo isso ficaria paralisado. Se resolverem isso hoje, ficam com as mãos livres para atacar o povo brasileiro", afirmou.

Às 12h50, o plenário atingiu o quórum de 307 deputados, faltando 35 para que a sessão que analisa a denúncia tenha início. A sessão já foi prorrogada por uma hora.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247