Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.


Funaro diz ter 110% de certeza de que Cunha distribuía propina a Temer

Antonio Cruz/Agência Brasil

O empresário e agora delator da Lava Jato Lucio Funaro afirmou em depoimento ter certeza do repasse de recursos ilícitos do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha para Michel Temer; “Eduardo Cunha redistribuía propina a Temer, com ‘110%’ de certeza”; a frase está em um dos depoimentos prestados em 23 de agosto por Funaro, apontado como operador de políticos do PMDB em esquemas de desvio de dinheiro público; nos depoimentos, há várias citações a casos em que Temer, Cunha e outros integrantes do partido teriam levado propina; mas também há menções a episódios em que houve divergências internas, como na definição de quem indicaria um cargo na Caixa Econômica Federal (CEF) que renderia vantagens indevidas; Funaro disse ainda que José Yunes, amigo e ex-assessor de Temer, lavava dinheiro para o presidente e que a maneira mais fácil para isso era por meio da compra de imóveis

Golpe: de Civil a Militar

"O golpe civil fracassou. Pode vir aí o golpe militar. Foi o que deu a entender o general de Exército Antônio Hamilton Mourão, em palestra em evento da Maçonaria, em Brasília, no último dia 15. Parece que, à exceção do PT, que emitiu uma dura Nota sobre o assunto, e de alguns outros partidos e forças progressistas, está todo mundo achando normal que as Forças Armadas voltem a falar abertamente em intervenção militar no país", analisa o sociólogo e colunista do 247 Marcelo Zero; "O golpe tornou a democracia um luxo desnecessário e a soberania nacional um estorvo jurássico. No campo social, estamos voltando à República Velha. No campo político, há agora a ameaça explícita de voltarmos a 1964. Será que teremos um novo general Mourão na nossa história? O último general Mourão resultou numa ditadura de 21 anos. E segundo Murphy, o da lei, as coisas sempre podem piorar"


Fechar